Você já ouviu falar que todos devem se exercitar, mas o que fazer se você tem uma deficiência? Já é bem complicado fazer o básico em sua vida se você está em uma cadeira de rodas ou têm outras deficiências físicas. O que dizer dos exercícios então? No entanto, o exercício é ainda mais importante para as pessoas com deficiência. Ele mantém sua força do corpo, lhe dá energia, melhora o estresse e pode ajudar a reduzir a fadiga e até na cura da depressão, principalmente para aqueles que acabaram de adquirir a deficiência. A chave é encontrar o tipo certo de exercício para a sua situação.

Exercícios para cadeirantes e pessoas que tiveram membros amputados

Geralmente, os usuários de cadeiras de rodas podem se concentrar em exercícios de resistência para melhorar a sua força superior do corpo e ajudar a reduzir as chances de lesão. Você deve sempre falar com o seu médico ou fisioterapeuta para obter autorização e orientação para suas melhores opções. Um bom lugar para começar é com vídeos personalizados de DVDs ou que você encontre pela web para você pode fazer em casa.

Você pode também buscar os serviços de um personal trainer para adaptar rotinas de musculação às suas necessidades. Esta rotina também funciona para quem teve amputação total ou parcial dos membros inferiores, além de pessoas que precisem de muletas para se locomover, como é o caso daqueles que sofrem algum tipo de deficiência por conta de paralisia infantil.

Se você estiver interessado em fazer mais, você pode querer pensar em investir em alguns equipamentos de ginástica especializada. Há muitos novos aparelhos de musculação disponíveis para pessoas em cadeiras de rodas e que tenha limitação de movimentos nos membros inferiores. Um exemplo são as bicicletas movidas pelas mãos e outros equipamentos aeróbicos. O que você não pode fazer é deixar que a falta de equipamentos especiais te afaste dos exercícios físicos.

Se você tem mobilidade superior do corpo, tente levantar os braços na frente de você, segure por alguns segundos e depois abaixe. Em seguida, levante os braços para os lados (parando na altura dos ombros), segure, então baixe-os. Faça ambos por 15 a 20 vezes e, enquanto você fica mais forte, segure pesos mais leves. Atividades mais específicas para as partes superiores do corpo incluem encolher os ombros, prensas gerais e levantamentos focados nos bíceps. Se você é competitivo, uma outra opção é tentar esportes organizados.

Exercícios para cadeirantes

Cadeirantes precisam de muita resistência e força nos braços. Pesos e elásticos de resistência constituem ótimos exercícios para isso. (Foto: www.nmeda.com)

Esportes para cadeirantes podem ajudar, basta você encontrar os eventos perto de você, que incluem basquete, tiro com arco, esgrima e muito mais. Se precisar de ajuda com o treinamento para um esporte ou evento específico, organizações não governamentais e órgãos de atendimento especial ao deficiente físico podem ajudar a encontrar programas de fitness em sua área.

Alongamento e flexibilidade são também importantes para reduzir a chance de lesão. Especificamente, você deve esticar todos os principais músculos em sua parte superior do corpo, incluindo os ombros, braços, costas e pescoço. Vídeos de exercícios para cadeirantes oferecem exemplos de exercícios e alongamentos que você pode fazer pelo seu corpo superior e incluem dicas sobre a forma adequada.

É importante salientar que estimular a parte inferior do corpo também pode ser de grande ajuda. Isso pode ser feito com massagens e alongamentos, principalmente. Alguns tratamentos para recuperar os movimentos das partes inferiores do corpo envolvem estes trabalhos e podem, em raros casos, devolver um pouco da sensibilidade aos membros inferiores, principalmente para quem tem limitação de movimento dos membros superiores ou algum dos membros superiores amputados ou inexistentes, como em casos de má formação.

Para quem tem problemas com a parte superior do corpo, como limitação de movimentos ou perda total o parcial dos membros, além dos exercícios de fortalecimento para os membros inferiores, torna-se necessário a musculação focalizada na compensação da deficiência. Isso significa que se você não tem o braço direito, por exemplo, você deverá fortalecer o ombro direito com algum tipo de estímulo para não ter dores pela ausência do braço e exercitar melhor seu braço esquerdo para que ele consiga fazer as tarefas que você necessita no dia a dia sozinho. Se você tem uma deficiência, você tem que trabalhar muito mais e ser muito mais criativo sobre o exercício. Conversar com seu médico, fisioterapeuta ou outros especialistas pode ajudar a encontrar atividades para manter seu corpo forte e ativo.

Esportes grupais

Esportes de grupos, como o basquete, são ótimas oportunidades para a socialização dos deficientes físicos e melhora na auto estima. (Foto: www.newswire.ca)

Exercícios para deficientes auditivos e visuais

As pessoas que tem a visão ou audição prejudicadas tem muitos obstáculos a serem superados na vida diária, e isso vale em dobro quando você adiciona o elemento de exercício. No entanto, com o advento dos atletas cegos nos jogos Olímpicos, mais e mais pessoas estão se envolvendo em esportes e exercícios. As preocupações específicas para a visão e audição prejudicadas envolvem o exercício com segurança.

Como qualquer novo praticante de exercícios físicos, a sua primeira preocupação deve estar em começar devagar com o exercício aeróbico e uma rotina de musculação, certificando-se de que você está usando a forma apropriada para cada exercício. Uma opção é aderir a um grupo de suporte e verificar as suas opções de formação pessoal.

Um personal trainer pode ajudar a guiá-lo através da academia, bem como os equipamentos disponíveis para você. Ele ou ela pode mostrar-lhe como fazer corretamente os exercícios, como usar as máquinas aeróbicas com segurança e colocá-lo em uma rotina que funcionará bem para o portador de deficiências físicas. Se você gosta do ar livre, considere se envolver em esportes.

Existem Associações de Atletas Cegos e Surdos pelo Brasil e são bons recursos para ajudar aqueles que tem visão ou audição prejudicada. Eles oferecem informações sobre organizações que você pode participar e maneiras específicas de treino com segurança e eficácia. O uso de um cão-guia também pode ser um ótimo estímulo para a prática de exercícios.

Principalmente para quem teve a cegueira causada pela diabetes, o exercício físico é crucial para manter a saúde adequada e os níveis de insulina equilibrados. Além disso, o exercício pode evitar e muito que o diabético tenha complicações como problemas do coração e de circulação de sangue.

10 exercícios para deficientes físicos

Agora que você já sabe da importância dos exercícios físicos, mesmo que você, um familiar ou amigo seja portador de necessidades especiais, alguns exercícios são especialmente adaptados independentemente de sua deficiência.

Natação

Seja qual for sua deficiência, a natação é um dos exercícios mais completos por aí. Lógico, pode ser necessário a orientação e acompanhamento de um especialista ao lado. Mas além de ser um exercício completo, a sensação de estar flutuando na água pode ser especialmente calmante para cadeirantes que tem de suportar o peso apenas com a parte superior de seus corpos.

Corrida e/ou Caminhada

Com algumas adaptações, uma cadeira de rodas pode ser adaptada para ser utilizada em corridas e caminhadas como exercício aeróbico. Mesmo quem utiliza muletas para se movimentar pode usufruir de caminhadas com elas, de forma a acostumar melhor o corpo ao uso desse auxílio e adquirir a destreza necessária para uma boa movimentação. Deficientes auditivos ou visuais são recomendados a fazer esses exercícios com um acompanhante ou um cão guia.

Ciclismo

Para quem tem problemas com membros superiores e/ou inferiores, há bicicletas adaptadas. Para quem é deficiente auditivo ou visual, temos as bicicletas para mais de uma pessoa, onde o deficiente pode fazer par com alguém que ficará responsável por guiar a bicicleta enquanto ele apenas pedala.

Musculação

Você pode até não gostar, mas a musculação é essencial para quem tem algum tipo de deficiência relacionada aos membros. Este tipo de deficiência faz com que seu corpo sobrecarregue alguns grupos musculares e torna necessário que você tenha uma rotina de exercícios para trabalhar a resistência e força, evitando que a sobrecarga cause dores musculares. Para deficientes auditivos ou visuais, a musculação pode também ser uma boa forma de socialização, já que é um desafio para estes deficientes a comunicação. Vale dizer que é especialmente necessário que os exercícios de musculação sejam feitos lentamente e combinados com a respiração apropriada, de modo a desenvolver uma resistência muscular necessária para evitar dores e lesões.

Esportes Coletivos

Futebol, basquete, futebol americano, rugby. Basta você pensar em um esporte que você vai ter uma versão adaptada para os diferentes tipos de deficiências. E estes esportes são de suma importância, principalmente na auto estima. Há estudos que comprovam uma alta incidência de depressão em portadores de deficiências físicas. Estes índices caem consideravelmente quando há  algum tipo de interação social entre grupos de portadores que compartilham experiência e suas histórias de superação.

Trekking

Pode até parecer que estamos indo contra o bom senso, só que não. O contato com a natureza é algo calmante, além de extremamente saudável. Os parques nacionais e estaduais estão endo todos adaptados para receber deficientes físicos de todos os tipos, democratizando o acesso às belezas naturais de nosso país. É uma experiência única e revigorante e que pode trabalhar muito para estimular diferentes sentidos e grupos musculares para uma melhor coordenação e senso de localização. Mesmo quando um parque ainda não é adaptado, há partes de acesso mais fácil que podem já ser um ótimo desafio aos portadores de deficiências.

Exercícios de Respiração

Uma respiração apropriada ajuda em uma boa oxigenação do sangue, acalma e ainda pode ser um elemento crucial no combate à depressão. Além disso, combinada com a meditação, a respiração pode ser uma excelente aliada no combate ao estresse do dia a dia.

Ioga e/ou Pilates

Estes dois populares exercícios já tem rotinas adaptadas a portadores de necessidades especiais. Eles combinam exercícios de força, alongamento e resistência, de forma a ajudar no equilíbrio e condicionamento físico apropriado para as tarefas do dia a dia. Especialmente para quem tem deficiência auditiva e/ou visual, os exercícios presentes na Ioga e no Pilates ajudarão bastante a conhecer melhor o seu corpo, ter uma melhor noção de espaço e equilíbrio.

Dança

A dança é um ótimo exercício aeróbico. É também um trabalho de socialização, de equilíbrio, além de extremamente calmante. Mesmo deficientes auditivos conseguem ter a experiência da música através das vibrações causadas pelas ondas sonoras. A música é uma das melhores ferramentas que existem para trazer alegria e qualidade de vida para as pessoas. Existem muitos grupos de dança pelo mundo que tem excelentes dançarinos portadores de necessidades especiais. Faça uma pesquisa e você verá como a dança mudou a vida dessas pessoas.

Artes Marciais

A sensação de impotência é muito comum entre os portadores de necessidades especiais. Não significa que você deva fazer artes marciais para reagir contra qualquer ataque à sua pessoa, mas saber que você tem a capacidade de se defender, conhecer melhor seu corpo e trabalhar o equilíbrio de uma forma global (mental, espiritual e física) podem ajudá-lo a se tornar mais autoconfiante. Além do mais, as artes marciais são exercícios completos e que podem ajudar e muito ao portador de necessidades especiais a manter sempre uma boa forma.

Considerações Finais

Viver com uma deficiência pode ser um desafio e os exercícios podem parecer apenas mais um fardo para adicionar à mistura. No entanto, com um pouco de orientação, você pode estar no seu caminho para a vida saudável e menos estressante. Gostaríamos de saber um pouco da história de vocês com exercícios físicos e suas necessidades especiais.

Deixem nos comentários suas histórias, e inclusive suas perguntas. Queremos ajudá-los de todas as formas que pudermos.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.

Um comentário para “10 exercícios físicos para Deficientes Físicos!”

  1. Manuel Mario

    Estou muito envolvido e tocado com a causa do deficiente no seu todo. Desde que eu comecei a oferecer alguns serviços ao ministério da mulher e accão social aliado ao facto de ter feito licenciatura em educação física, as minhas atenções estão viradas em promover o bem estar e a inclusão do deficiente através da ginastica aeróbica, mas em alguns momentos fico equivocado em como proceder. Obrigado pelas informações que aqui acabei de visualizar. Estão de parabéns! Força! Continuem! Se possível penso com muita clemencia material como vídeos de aulas de ginastica aeróbica e suas variantes para deficientes. Saudações de Moçambique!