Você deve ter vindo parar nesse artigo se perguntando como fazer para aumentar as plaquetas baixas, ou como fazer para aumentar as plaquetas do sangue. São duas perguntas simples, mas que precisam de uma explicação básica antes que você já comece a tomar alguma atitude ou fazendo tratamentos naturais que podem atrapalhar seu bem estar. É preciso, primeiro, conhecer os integrantes de seu sistema imune e o papel do seu médico na ajuda para aumentar as plaquetas e manter uma imunidade alta.

Plaquetas e glóbulos brancos: a linha de defesa do organismo contra doenças e sangramentos

O sistema imunitário de um ser humano é formado, principalmente, pelos glóbulos brancos e as plaquetas. Os glóbulos brancos, também chamados de linfócitos, são responsáveis por combater agentes invasores, como vírus e bactérias. Já as plaquetas funcionam como uma “fita-adesiva” dentro do seu sistema imune. Sempre que há um sangramento, as plaquetas vão até esse sangramento, se aglomeram e formam um coágulo, responsável por parar o sangramento e evitar hemorragias. Uma baixa quantidade de plaquetas ou glóbulos brancos pode ser sinônimo de um problema ainda maior de saúde, e você sempre deve entrar em contato com um médico quando achar que sua imunidade está muito baixa, ou que cortes e arranhões estejam demorando demais para cicatrizar.

Glóbulos brancos e plaquetas no combate à dengue

Como você pode ter visto, na hora de combater invasores, são os glóbulos brancos os mais importantes no combate. Então, o que fazer para aumentar as plaquetas no caso de dengue? Na verdade, você precisará dos glóbulos brancos e das plaquetas, atuando junto, para combater a dengue.

Os glóbulos brancos funcionarão na linha de frente do combate ao vírus da dengue. Eles precisam estar fortes e ter uma contagem boa no seu sangue para um combate equilibrado e uma recuperação mais rápida. Uma contagem entre 4.500-10.000 de glóbulos brancos por microlitro de sangue é uma contagem saudável e normal. Acima ou abaixo dessas quantidades pode ser um sintoma de outro problema de saúde, que deverá ser corretamente diagnosticado por um profissional médico.

Já as plaquetas funcionam como um “tampão”, preenchendo qualquer dano que o vírus da dengue possa ter causado no seu organismo. Assim, seja um corte externo na pele, ou cortes internos, em órgãos e outros tecidos, as plaquetas vão se reunir para “tapar” os buracos, evitando hemorragias. Uma contagem entre 150.000-400.000 plaquetas por microlitro de sangue é normal. Novamente, se a contagem estiver acima ou abaixo dessas quantidades

Acompanhamento médico para aumentar o número de plaquetas

Aumente o número de plaquetas com uma boa alimentação diversificada, orientada e acompanhada por um nutricionista e um médico. (Foto: www.youtube.com)

O que pode causar um baixo número de plaquetas?

Antes de você sair fazendo um diagnóstico, um médico deverá solicitar exames de sangue para fazer a contagem de plaquetas no seu sangue e também buscar possíveis causas de um baixo número de plaquetas. Algumas causas possíveis são:

  • Não há um número suficiente de plaquetas sendo produzidas pela medula óssea
  • Plaquetas estão sendo destruídas na corrente sanguínea
  • Plaquetas estão sendo destruídas no baço e no fígado
  • Tratamentos anticâncer como quimioterapia e radiação
  • Drogas e medicamentos
  • Doenças autoimunes

Todos os problemas acima mencionados são de diagnóstico e prognóstico delicados, pois o constante acompanhamento profissional é extremamente necessário. Principalmente nos tratamentos contra o câncer e em tratamentos que envolvem medicamentos específicos, apenas um médico poderá indicar uma solução para o baixo número de plaquetas. E nossas dicas abaixo de como fazer para aumentar as plaquetas sanguíneas pouco adiantarão para resolver o problema.

Plaquetas baixas e o diagnóstico correto

O que fazer para aumentar as plaquetas na gravidez? Ou como aumentar as plaquetas depois da dengue hemorrágica? Primeiramente, como já falamos acima e vamos repetir muito: siga as orientações de seu médico. Tanto poucas plaquetas quanto plaquetas demais no organismo são ruins. Em alguns casos mais graves, medicamentos deverão ser usados para ajudar na produção de plaquetas, ou a pessoa pode até precisar de receber uma transfusão de plasma.

O número de plaquetas em algumas mulheres grávidas realmente fica abaixo do normal, sem que isso prejudique a saúde delas ou do bebê. O fenômeno ocorre porque as mulheres grávidas produzem mais plasma do que o normal. Por isso, as plaquetas ficam mais diluídas no plasma, mais espalhadas pelo organismo e menos concentradas. O médico que está acompanhando a gravidez será a pessoa com as orientações corretas para saber se a contagem está em limites mais baixos que são toleráveis ou se é necessário algum tratamento mais específico.

Na maioria das vezes, o que você vai precisar para aumentar a quantidade de plaquetas no sangue naturalmente é, simplesmente, ter uma vida mais saudável, completando sua dieta com mais nutrientes. Veja no vídeo abaixo um exemplo de um suco rico em nutrientes para ajudar na produção de glóbulos brancos e plaquetas.

O que fazer para aumentar as plaquetas?

O primeiro passo é evitar que o número normal de plaquetas caia. Pra isso, evite a ingestão de alimentos com quinino, um aditivo que, comprovadamente, reduz o número de plaquetas no sangue. Açúcares refinados, gorduras saturadas, alimentos processados, e refrigerantes também são um perigo, pois eles contém substâncias que podem atrapalhar a produção de plaquetas. Como isso acontece? Lembra que falamos que um dos lugares onde as plaquetas podem ser destruídas é o fígado? Esse órgão também é responsável por produzir a insulina que controla os níveis de açúcar no sangue. Quando você toma uma bomba de açúcar, o fígado tem que trabalhar mais e, consequentemente, as plaquetas vão precisar ajudar na regeneração do mesmo.

O álcool, quando tomado em grandes quantidades, também atrapalha o funcionamento do fígado e do baço. Estes dois, essenciais no combate à infecções e para a saúde perfeita do sistema sanguíneo, serão sobrecarregados, e você pode acabar com um problema pior do que apenas as plaquetas baixas, tal como a cirrose causada pelo alcoolismo.

Produtos lácteos estão, comprovadamente, relacionados à criação de muco no organismo. Este muco pode acabar agravando alguns tipos de doenças autoimunes, dó tipo que “atacam” seus glóbulos brancos e plaquetas. Principalmente quem tem algum topo de alergia ou resistência à produtos lácteos, deve evitá-los ao máximo.

O segundo passo é ter uma dieta balanceada e rica em nutrientes saudáveis. Frutas, legumes, verduras, carnes magras (aves e peixes), grãos integrais, oleaginosas. Com o acompanhamento de um nutricionista, você poderá fazer a dieta ideal para seu organismo e suas necessidades diárias. É o profissional que sabe a quantidade certa de vitaminas para não te prejudicar com o excesso ou a falta de vitaminas essenciais para ajudar no bom funcionamento do seu organismo, bem como na produção de plaquetas e glóbulos brancos.

O terceiro passo é a prática de exercícios físicos. Quando você pratica exercícios físicos, seu metabolismo é melhorado e todo seu organismo passa a funcionar de forma mais eficiente. Todos os nutrientes que você precisa e adquire em uma dieta saudável são processados ao máximo. Seu sistema respiratório melhora, seu sistema circulatório melhora e, consequentemente, seu sistema linfático e imune também circulam com mais facilidade. Os músculos fortalecidos ajudam no suporte melhor aos ossos e em uma circulação mais adequada para o sangue.

Considerações Finais

A combinação de alimentação saudável e a prática de exercícios físicos é a melhor resposta para aumentar as plaquetas no sangue. Com o acompanhamento de um nutricionista, um médico e um educador físico para te orientar nas melhores práticas para uma vida saudável, seu sistema imune e todo seu corpo começarão a ter um funcionamento muito melhor e mais eficiente do que antes.

Você já teve problemas com baixo número de plaquetas antes? Como você solucionou o problema? Quais profissionais te acompanharam?

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.