Existem muitos mitos no mundo fitness e alguns deles são obstáculos tremendos para algumas pessoas começarem a malhar. Grande parte das pessoas acredita nestes mitos que iremos citar e após este artigo, a musculação vai ser muito mais saudável do que você imagina.

Mito 1 – Os exercícios físicos são melhores que musculação

Os chamados exercícios livres como, por exemplo, a corrida e o futebol são muito importantes para a manutenção da boa saúde, uma vez que eles trabalham diversos grupos musculares ao mesmo tempo.

Apesar destes benefícios, praticar apenas a modalidade não te garante qualidade sempre. A musculação é importante para o fortalecimento articular e muscular. Este fortalecimento tem influencia direta no desempenho e prevenção de lesões. Sendo assim, estimular simultaneamente é o ideal.

Mito 2 – Quem faz musculação pode comer o quanto quiser

As pessoas acham que ao fazer musculação você está livre para comer tudo que quiser e na quantidade que quiser. A musculação em si, não é o melhor exercício para quem quer perder peso, mas pode ajudar nisso.

De uma forma bem simples de explicar, é muito mais fácil comer 500 calorias do que queimá-la. O exercício físico é uma das maneiras que ajudar na manutenção do peso corporal, mas só há sucesso quando existe uma dieta balanceada.

Mito 3 – Quanto para de malhar, os músculos viram gordura

As pessoas associam este mito ao fato de grandes atletas engordarem bastante quando param de se exercitar. Este mito é facilmente explicado pelo mito 2, como o exercício físico é uma das maneiras de manter o peso, quando paramos de praticar a tendência é aumentar a gordura corporal, uma vez que continuaremos a comer.

Quais os benefícios da malhação?

Quais os maiores mitos da malhação?

Mito 4 – Resultados só aparece malhando pelo menos 1 hora

Os mitos podem te levar para caminhos perigosos e este é um deles. A intensidade e duração do exercício são inversamente proporcionais. As pessoas que acham que o efeito só vem quando malham pesado por longo período, estão se colocando em graves riscos.

Existem diversos estudos que apontam que 3 exercícios de 10 minutos pode ter o mesmo efeito que um treino continuo de 30 minutos, tudo depende do grau de intensidade e sua realização. Tudo isso é minuciosamente determinado pelo orientador físico.

Mito 5 – Aumentar a massa muscular vai atrapalhar

Aumentar a massa magra é fundamental para o bom desempenho em diversas atividades físicas e até mesmo em atividades cotidianas, mas existem muitas pessoas que evitam estes exercícios com medo de prejudicar alguns movimentos.

Os atletas extremamente musculosos perdem sim um pouco de mobilidade de algumas articulações, mas estamos falando daqueles fisiculturistas que malham visando levar o crescimento muscular ao limite. Tirando estes casos específicos, a malhação só oferece benefícios às pessoas, desde que praticada e orientada de forma correta.

Mito 6 – As mulheres só devem levantar pesos leves

Aquela história do sexo frágil ainda impede que as mulheres pratiquem musculação de forma eficaz, apesar de que atualmente uma boa parcela feminina já entendeu que isso não é verdade.

É natural que as mulheres venham a pegar menos peso que os homens, porém está diferença não é tão discrepante quanto o divulgado. É possível encontrar mulheres mais fortes que a maioria dos homens e isso vêm de muito treino e dedicação.

O que define a quantidade de peso que deve ser pego é o objetivo que se pretende alcançar. Após determinar o objetivo, a mulher juntamente com seu orientador físico saberá qual é a carga das sessões de treino. Não existe definição muscular sempre malhação.

Mito 7 – Malhar só serve pra deixar musculoso

Aumentar a massa muscular é um dos principais objetivos da musculação, porém este não é o único objetivo. A musculação pode trabalhar o crescimento e fortalecimento ósseo ou para perder peso.

Mito 8 – Menores de idade não podem malhar

Este é outro mito bem popular e que aos poucos vem caindo. É correto afirmar que a intensidade e a carga deve ser menor e muito mais orientada. A musculação pode contribuir para uma melhor formação óssea e ainda aumentar o condicionamento físico.

Esportes como futebol, vôlei e ginástica são muito mais perigosos para a criança e adolescente do que a musculação. Este risco aumenta ainda mais quando a intensidade da modalidade é alta e o jovem não faz um fortalecimento adequado.

Mito 9 – Idosos e gestante não podem malhar

Em ambos os casos, as pessoas podem malhar sim, mas obviamente cada indivíduo tem as limitações naturais do seu condicionamento fisiológico. Cada aparelho de musculação tem sua especificidade e adaptação de altura, inclinação, quantidade de peso faz com que todas as pessoas possam utilizá-lo.

Mesmo que pareça repetitivo, sempre falamos da importância de malhar com a orientação profissional. Existem profissionais especializados para malhação na terceira idade, assim como profissionais destinados a trabalhar com as gestantes.

Um dos benefícios da malhação para idosos é o combate a osteoporose. Para as gestantes o exercício físico e a malhação pode melhorar a postura e combate as dores na coluna graças a fortalecimento desta musculatura.

Mito 10 – Só tem resultado se malhar todo dia

Um dos principais riscos de qualquer atividade física é o excesso e a falta de descanso, na musculação não seria diferente. Graças à possibilidade de exercícios que estimulem músculos separados, é possível sim malhar todos os dias sem colocar sua saúde em risco.

O importante é nunca malhar o mesmo grupamento muscular dois dias seguidos. Para facilitar o entendimento, se você malhar membros inferiores em um dia, o ideal é malhar os membros superiores no outro dia, ou a região do core.

Para saber qual o período de descanso ideal para voltar a exercitar o mesmo grupamento, é importante determinar qual foi à carga e a intensidade da malhação. Novamente faz se necessárias a presença e a orientação de um profissional de Educação Física.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.