Você fica mexendo as pernas o dia todo? Saiba o que é a síndrome das pernas inquietas!

Escrito na categoria "Saúde" por André M. Coelho.

Síndrome das pernas inquietas é um distúrbio no qual existe um desejo ou necessidade de mover as pernas para impedir sensações desagradáveis. É muito comum vermos pessoas com este distúrbio mas poucos de nós compreendemos bem como ele ocorre e por que ele ocorre, algo que queremos solicionar e esclarecer com este artigo.

Causas da síndrome das pernas inquietas

Síndrome das pernas inquietas ocorre com mais freqüência em adultos de meia-idade e mais velhos. O estresse faz com que seja pior. A causa é desconhecida na maioria dos pacientes. Pode ocorrer com mais freqüência em pacientes com:

É geralmente transmitida na família. Isso pode ser um fator quando os sintomas começam em uma idade mais jovem. O gene anormal não foi ainda identificado. A síndrome das pernas inquietas pode resultar numa diminuição da qualidade do sono. Esta falta de sono pode levar a sonolência diurna, ansiedade, depressão, confusão ou retardo nos processos de pensamento.

Sintomas da síndrome das pernas inquietas

A síndrome leva a sensações nas pernas entre o joelho e o tornozelo. O sentimento faz você se sentir desconfortável, a menos que você mova suas pernas. Estas sensações:

Todos esses sintomas muitas vezes perturbam o sono. Os sintomas podem torná-lo difícil de se sentar durante as viagens aéreas ou de carro, ou durante aulas ou reuniões. Os sintomas podem ser piores durante o estresse ou distúrbios emocionais.

Pernas que não param de se mexer

Se você não consegue parar de mexer as pernas durante a noite, pode ser que você tenha a síndrome das pernas inquietas. (Foto: www.sleepaidguide.com)

Exames e testes para a síndrome das pernas inquietas

Não há nenhum teste específico para a síndrome das pernas inquietas. O médico não costuma encontrar quaisquer problemas, a menos que você também tenha a doença dos nervos periféricos. Os testes serão feitos para descartar doenças com sintomas semelhantes, incluindo a anemia por deficiência de ferro.

Tratamento para a síndrome das pernas inquietas

Não há cura conhecida para a síndrome das pernas inquietas. O tratamento visa reduzir o estresse e ajudar a relaxar os músculos. As seguintes técnicas podem ajudar:

Se o seu sono é gravemente afetado, o seu médico pode prescrever medicamentos como Sinemet (um medicamento anti-Parkinson), gabapentina e pregabalina, ou tranquilizantes, como clonazepam. No entanto, esses medicamentos podem causar sonolência diurna. Já pacientes com deficiência de ferro devem receber suplementos de ferro. Baixas doses de narcóticos podem às vezes aliviar os sintomas da síndrome das pernas inquietas.

Prognóstico de quem tem a síndrome das pernas inquietas

Síndrome das pernas inquietas não tem nenhum risco de vida, e não é um sinal de uma doença grave. No entanto, ela pode ser desconfortável e perturbar seu sono, o que pode afetar sua qualidade de vida.

Possíveis complicações da síndrome das pernas inquietas

Pode ocorrer insônia.

Não deixe de consultar um médico!

Marque uma consulta com o seu médico se você tem os sintomas da síndrome das pernas inquietas e principalmente, se seu sono é interrompido por causa do problema

Prevenção da síndrome das pernas inquietas

Técnicas para promover o relaxamento muscular e redução da tensão podem reduzir a incidência da síndrome das pernas inquietas em pessoas propensas à condição.

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

André fez parte de uma das primeiras equipes de Parkour no Brasil. Desde então, atuou junto de educadores físicos, nutricionistas, fisioterapeutas e profissionais da saúde para aperfeiçoar seus conhecimentos. Desde 2012, escreve dicas de saúde e exercícios físicos que aprendeu e continua aprendendo. Em 2019 tornou-se instrutor de Muay Thai e Kickboxing, compartilhando com seus alunos para ensinar tudo que aprendeu.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista. Procure sempre orientação médica presencial antes de consumir ou utilizar qualquer produto ou substância terapêutica.