O ovário policístico é ​​o distúrbio hormonal mais comum entre as mulheres em idade reprodutiva. Infertilidade é um dos sintomas mais comuns dessa síndrome. Como os sintomas do ovário policístico são aparentemente não relacionados entre si, a condição é muitas vezes não diagnosticada corretamente, o que pode resultar em sérios problemas de saúde para a mulher.

O artigo abaixo tem teor apenas informativo. Apenas um profissional médico poderá diagnosticas e receitar soluções para seu problema com os ovários policísticos.

Síndrome do ovário policístico: o que é?

No geral, o ovário policístico tem como principais sintomas ciclos menstruais irregulares e excesso de pelos no corpo ou pelos faciais. A síndrome muitas vezes causa a formação de pequenos aglomerados de cistos nos ovários. Eles são cheios de líquidos e contém óvulos imaturos. As mulheres com ovários policístico produzem quantidades ligeiramente mais elevadas de hormônios masculinos conhecidos como andrógenos, que contribuem para alguns dos sintomas da doença.

Ovário policístico: causas

Todo mês em um ovário saudável, um óvulo imaturo começa a se desenvolver e é liberado do ovário quando maduro. Certos hormônios liberados pelo organismo auxiliam neste processo conhecido como ovulação.

Na síndrome do ovário policístico, um desequilíbrio hormonal perturba o processo de ovulação. Como resultado, um óvulo começa a se desenvolver, mas não amadurece totalmente e portanto, não é liberado. Em vez disso, o folículo em que o óvulo imaturo está contido torna-se um cisto cheio de líquido. Cada cisto tem geralmente entre dois a seis milímetros de diâmetro e ao longo do tempo, múltiplos cistos podem cobrir o ovário. Em aproximadamente 75% das mulheres com síndrome do ovário policístico, os ovários podem aumentar de tamanho.

A causa da síndrome dos ovários policístivos não é totalmente compreendida. A condição tem uma tendência a ser relacionada a fatores genéticos, mas outros fatores também podem influenciar o aparecimento da doença, tais como níveis excessivos de hormônios masculinos nos ovários, problemas com as enzimas envolvidas na produção de hormônio masculino, e problemas com o metabolismo da insulina, conhecido como resistência à insulina.

Como conviver com ovários policísticos

Ovários policísticos podem estragar sua saúde, se não forem tratados apropriadamente. Mas é possível viver normalmente com esse problema, com os cuidados certos. (Foto: Fatih Öğüç)

Ovário policístico: sintomas

A síndrome do ovário policístico é um agregado de uma série de sintomas. Os sintomas que um paciente experimenta podem ser muito diferentes dos sintomas de outro paciente. Se você tiver dois ou mais dos seguintes sintomas, você precisa fazer um exame completo para determinar se você precisa de tratamento para os ovários policísticos:

  • Ciclos menstruais irregulares ou ausentes
  • Infertilidade
  • Crescimento excessivo ou indesejado de pelos corporais ou faciais
  • Redução de cabelos no couro cabeludo
  • Problemas de peso, muitas vezes incluindo ganho de peso em torno da cintura
  • Problemas de pele, incluindo marcas de pele, escurecimento da pele e acne

Diagnóstico da síndrome do ovário policístico

O diagnóstico envolverá fazer alguns exames e consultas ao histórico médico da paciente, bem como a realização de alguns exames, tais como:

  • Exame pélvico para determinar se os ovários estão aumentados
  • Exames de sangue para avaliar os níveis de hormônios, glicose e colesterol
  • Uma ecografia dos ovários

Note-se, nem todas as mulheres com síndrome do ovário policístico terão ovários policísticos e nem todas as mulheres com cistos ovarianos têm a síndrome. Um diagnóstico é geralmente confirmado quando há uma combinação de dois ou mais dos seguintes:

  • Menstruação irregular
  • Aumento do crescimento dos pelos corporais ou acne, ou aumento dos níveis de hormônios masculinos
  • Muitos folículos nos ovários, vistos pelo ultrassom

Ovário policístico engorda? Quais são as complicações desse problema?

Os sintomas comuns são ruins o suficiente para a maioria das mulheres, mas algumas das que tem a síndrome do ovário policístico podem experimentar complicações adicionais, incluindo:

  • Diabetes, níveis elevados de insulina ou resistência à insulina
  • Problemas de coração e vasos sangüíneos
  • Câncer no útero
  • Apneia do sono
  • Obesidade

Cada um destes problemas pode ser fatal, razão pela qual o tratamento para a síndrome do ovário policístico é tão importante.

Ovários policísticos: tratamento

Como a síndrome dos ovários policísticos não pode ser curada, o tratamento é focado na gestão dos sintomas, dependendo diretamente da gravidade desses.

Resistência a insulina: a resistência à insulina tem um grande papel no desenvolvimento da síndrome do ovário policístico. Portanto, o tratamento inicial deve focar menos na gestão dos sintomas individuais e pode se concentrar mais na correção da resistência à insulina. Isto por sua vez pode melhorar muitos outros sintomas da condição. Certos medicamentos antidiabéticos são frequentemente utilizados para tratar a resistência à insulina, e ainda há medicamentos que podem ajudar a estimular a ovulação e com a redução de peso.

Ciclos menstruais irregulares: pílula contraceptiva oral pode ser prescrita para regular os ciclos menstruais.

Crescimento excessivo dos pelos corporais e da acne: estes sintomas podem ser tratados com medicamentos que bloqueiam a ação dos hormônios masculinos (andrógenos). Estes medicamentos são conhecidos como anti-andrógenos. Alguns contraceptivos orais que contém pequenos níveis de anti-andrógenos também podem ser usados ​​para tratar o crescimento excessivo dos pelos e surgimento da acne. Eletrólise ou depilação a laser também pode ser eficaz para algumas mulheres.

Infertilidade: se a infertilidade é um problema, medicamentos para estimular os ovários a produzir mais óvulos podem ser prescritos. Um procedimento cirúrgico pode ser recomendado em alguns casos para melhorar a fertilidade. Durante este procedimento, os cistos nos ovários são cauterizados, o que pode ter o efeito de estimular a ovulação. Este procedimento é geralmente recomendado apenas quando todas as outras formas de tratamento para aumentar a fertilidade foram ineficazes.

Perda de peso: a perda de peso desempenha um papel importante na gestão da síndrome do ovário policístico. A perda de peso reduz a quantidade de hormônios masculinos produzidos pelo corpo e pode melhorar a capacidade do corpo em usar a insulina. O exercício regular e a manutenção de uma dieta saudável e equilibrada, que seja baixa em alimentos refinados e açucarados, mas rica em fibras e carboidratos complexos, também é importante.

Terapias alternativas, como acupuntura, homeopatia e naturopatia podem ser úteis no tratamento dos sintomas em algumas mulheres.

Ovários policísticos têm cura? Não, mas tem prevenção!

Um dos melhores tratamentos para o ovário policístico é um estilo de vida saudável. Uma dieta saudável baixa em carboidratos refinados é importante, pois isso pode ajudar a regular os níveis de açúcar no sangue. Exercícios também podem ajudar o corpo a regular a insulina e evitar o excesso de peso. Perder peso é desafiador com os ovários policísticos, mas fazê-lo pode ajudar a reduzir os níveis dos hormônios masculinos no corpo, e algumas mulheres vão começar a ovular naturalmente. Com um bom diagnóstico, mudanças de estilo de vida e tratamento, as mulheres podem obter alívio desta condição, prevenir os problemas mais graves causados por ela, e viver uma vida relativamente normal.

Você tem ovários policísticos? Quais são os sintomas que você sente? Como lida com o problema?

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.