O ovo é um feito notável da natureza. Ele contém tudo o necessário para fazer um frango, e tem sido considerado um dos mais saudáveis ​​alimentos disponíveis. Nutricionalmente, os ovos são uma boa fonte de proteínas, selênio, fósforo, riboflavina e vitamina B12, além de ricos em nutrientes importantes para os olhos e cérebro, mas ricos gordura saturada e em colesterol.

Na verdade, um único ovo de tamanho médio contém 62 por cento da ingestão diária máxima recomendada de colesterol e gordura saturada. Depois de muitos anos de críticas e má publicidade, os ovos são novamente aceitos nos círculos nutricionais, e é geralmente aceito que até 3 ovos inteiros possa ser consumidos com segurança a cada dia, e 2 a 6 das gemas ricas em colesterol por semana.

E se você quiser comer mais de 3 ovos por dia, e mais de 6 gemas por semana?

Um homem de 88 anos de idade, que comia 20 a 30 ovos quentes por dia, durante pelo menos 15 anos foi descoberto em pesquisas no ano de 1991. Ele relatou nenhum efeito adverso de comer os ovos ao longo do dia, mantendo registros cuidadosos dos ovos consumidos. Seja qual for a razão para este registro notável do consumo de ovos, sua saúde era excelente e seu nível de colesterol normal, se mantendo assim por anos. Comer mais do que o número recomendado de ovos e gemas aparentemente não lhe causou nenhum problema.

Quantos ovos devemos comer por semana?

O problema dos ovos e sua limitação de consumo vem por conta dos níveis de colesterol presentes nos ovos e o conhecimento popular sobre o colesterol. Este é associado, na maioria das mentes das pessoas, com ataque cardíaco e acidente vascular cerebral. Porém, o colesterol é uma parte importante da membrana celular, e da bainha que envolve as fibras nervosas e que lhes permite conduzir eletricidade. Colesterol é também necessário para a produção de hormônios da glândula supra-renal, como o cortisol e a aldosterona, e dos hormônios sexuais estrogênio e testosterona. O colesterol é transformado em bílis pelo fígado e pode proteger outras células como um antioxidante.

Uma certa quantidade de colesterol é necessária, e é produzido no fígado, se não puder ser obtido na dieta. Se o colesterol é recolhido a partir de ovos e outros alimentos, a produção pelo fígado é limitada ou até “desligada”, de modo que a quantidade total de colesterol obtido a partir de dieta e produzida pelo fígado, permanece a mesma. Esta descoberta levou à necessidade da reconsideração da quantia de colesterol ingerido.

Vantagens em consumir ovos

Consumir ovos faz muito bem para sua saúde, pois eles são excelentes exemplos de superalimentos. (Foto: www.foxnews.com)

Colesterol HDL X Colesterol LDL

Há mais para o colesterol do que apenas o nível no sangue, no entanto. Existem vários sub-tipos diferentes de colesterol, principalmente HDL (lipoproteína de alta densidade) de LDL (lipoproteína de baixa densidade).

LDL é o colesterol “ruim” que contribui para a aterosclerose, a deposição de gorduras e cálcio nas paredes dos vasos sanguíneos que levam ao seu bloqueio e resultam em ataque cardíaco e acidente vascular cerebral. HDL é o “bom” colesterol, que ajuda a remover esses depósitos e tem um efeito protetor contra o ataque cardíaco e acidente vascular cerebral.

Diversos estudos confirmaram que o “bom” colesterol HDL aumenta com o consumo de ovos e que os ovos inteiros são mais eficazes em elevar os níveis do “bom colesterol” do que o consumo apenas das claras de ovos.

Colesterol LDL e o consumo de ovos

Os níveis totais de colesterol geralmente não se alteram com o consumo de ovos. Porém, cerca de 30 por cento das pessoas tem ligeiro aumento do colesterol LDL ao consumir ovos inteiros, mas não há nenhuma associação entre o consumo de ovos e as doenças cardíacas..

Ovos e Diabetes

Existe alguma preocupação com os efeitos de ovos em pessoas com diabetes. Uma série de estudos, alguns deles muito grandes, têm mostrado que pessoas que comem ovos não têm um risco aumentado de doença cardíaca ou acidente vascular cerebral. Em alguns estudos, o risco de acidente vascular cerebral é realmente inferior com o consumo de ovos. O risco de doença cardíaca é maior em diabéticos que comem ovos, no entanto, embora não seja evidente nestes estudos se isto é devido aos ovos ou a outros fatores. tais como dieta, exercício ou à gravidade da diabetes. Se as pessoas com diabetes seguirem uma dieta pobre em carboidratos, comer ovos é associado a uma diminuição dos fatores de risco para doenças do coração e melhoria da síndrome metabólica.

Outros benefícios dos ovos para a saúde?

Os ovos têm vários outros benefícios para a saúde. Eles são ricos nos antioxidantes luteína e de zeaxantina, responsáveis por reduzirem o risco de cataratas e degeneração macular, principais causas de perda visual com o envelhecimento. Eles também fornecem o nutriente colina, importante para o cérebro e precursor do neurotransmissor acetilcolina para a memória, que pode ser deficiente na dieta da maioria das pessoas.

Os ovos são uma rica fonte de proteínas de elevada qualidade, que é cada vez mais importante com o envelhecimento para a manutenção da saúde dos ossos e da massa muscular. Eles também têm sido mostrados para aumentar a saciedade e facilitar a perda de peso com a dieta alimentar, além de aumentar a perda de gordura corporal.

Quantos ovos um dia você pode comer de forma segura?

Aparentemente, quantos você quiser, se você prestar atenção ao seu consumo total de calorias e é cuidadoso sobre sua ingestão de carboidratos. Se você tem diabetes, você pode comer com segurança ovos também, mas precisa estar particularmente atento aos carboidratos e controlar o açúcar no sangue. O mais correto a se fazer é consultar um nutricionista para que ele recomende a quantidade certa por dia, de acordo com seu metabolismo e suas necessidades calóricas.

Quantos ovos você consome por semana?

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.