Um adolescente é uma pessoa diferente do que ela foi um dia. Como um adolescente, eles podem não ser capazes de assumirem responsabilidades de adultos. Enquanto crescem e amadurecem, eles são cada vez mais capazes de compreender as implicações e consequências do excesso de peso. Isso é extremamente importante na hora de dialogar com um adolescente sobre a obesidade.

Obesidade na adolescência: uma questão além de comportamento

Quando o adolescente era mais jovem, você usava recompensas para motivar o adolescente promover a saúde? Ela respondia às suas recompensas ou passavas mais alguns minutos de assistindo à TV?

Tão eficaz como essa estratégia possa ter sido, ela provavelmente não vai funcionar mais. Sim, talvez um adolescente mais jovem (13 ou 14 anos de idade) possa estar disposto a mudar seu comportamento se você oferecer pequenas quantias de dinheiro em troca. No entanto, no momento em que ele ou ela tiver 15 anos ou mais, você precisará mudar de estratégia.

Quando é o peso que está em consideração, apelar para o senso crítico é um dos métodos mais eficientes, ajudando o adolescente a entender as conseqüências sociais e de saúde de ser obeso, em um mundo que muitas vezes é hostil para pessoas acima do peso.

Pesquisas tem mostrado, inclusive, que a obesidade tem fatores não apenas comportamentais, mas também genéticos, ambos influenciando igualmente no ganho de peso.

Como tratar a obesidade em adolescentes

A obesidade é uma questão delicada e difícil de tratar com adolescentes. O quanto antes ela for atacada, melhor será para a saúde do indivíduo no futuro. (Foto: www3.imperial.ac.uk)

Compreendendo a obesidade na adolescência: causas e consequências

O adolescente obeso tem que entender as consequências do problema para sua saúde. Pergunte a ele ou ela: “O que você acha que vai acontecer se você ganhar mais peso ou manter seu peso atual?”. O adolescente pode te surpreender com um discurso sobre a diabetes e aumento de pressão arterial. Ou pode descrever o quão difícil pode ser para adolescentes obesos praticarem aulas de educação física.

Como todos os adolescentes, há uma consciência e preocupação com sua imagem corporal, além da opinião dos colegas de classe. Esses tipos de situações podem motivar a mudar as maneiras que lhe permitam atacar eficazmente o problema do excesso de peso.

Obesidade na adolescência: tratamento

Em todo esse processo de conscientização e diálogo, seu filho ou filha adolescente deve saber que, apesar de sua crescente independência, você ainda é seu pai e ainda vai estar lá quando ele ou ela precisar de você. Não adianta apenas dizer que você estará ao lado dele ou dela se você não liderar pelo exemplo. É pra fazer uma dieta pesada? Então você não vai comer um hambúrguer enquanto seu filho come uma salada. Sua filha precisa fazer exercícios? Então você não vai ficar assistindo ao jogo de futebol no sofá em um domingo ensolarado.

O tratamento da obesidade em adolescentes envolve a família, envolve profissionais como psicólogos, nutricionistas, endocrinologistas. Quando todos estão envolvidos, é muito mais fácil para o adolescente mudar os comportamentos. Imagine, se uma geladeira só tem alimentos saudáveis, como o adolescente pode querer beliscar algo gorduroso durante a noite?

O papel da família no tratamento da obesidade na adolescência

O papel da família para impor limites, dar o exemplo, e ser o suporte que o adolescente precisa, é essencial no tratamento da obesidade. Esteja sempre disponível para ouvir seus filhos e filhas sobre problemas de alimentação, problemas de comportamento, autoimagem, etc. Faça sugestões, ofereça conselhos gentis, dê a eles espaço para fazerem escolhas. Mostre, acima de tudo, que você confia neles para que eles façam escolhas próprias.

Há momentos, claro, em que o adolescente não tomará as melhores decisões. Mas isso também faz parte do processo. Mantenha o diálogo aberto com seu filho ou filha. Faça perguntas como: “qual foi a parte mais difícil de gerir o seu peso esta semana?”. Ou “O que posso fazer para ajudar?”. Talvez “O que podemos pensar juntos sobre manter você na direção certa?”. Por todos os meios, crie um ambiente familiar que é propício para o sucesso, pois há momentos em que todos ião falhar, e todos deverão trabalhar juntos para superar o erro.

A obesidade na adolescência não é a mesma coisa que a obesidade na infância

O papel dos pais e da família no tratamento de um adolescente lutando contra a obesidade é bem diferente do tratamento da obesidade na infância. Isso significa um papel bem diferente de todos envolvidos. São rotinas e papeis familiares mudando, costumes, hábitos. Todos precisam mudar para ajudar o jovem. Enquadre melhor seus comentários e perguntas. Ao invés de perguntas “Por que você é tão preguiçoso quando se trata de exercícios físicos?”, você poderia pergunta: “Por que não vamos toda a família brincar de paintball hoje?”

Lembre-se que mesmo que a família tenha um papel importante no tratamento, assim como uma alimentação saudável e a prática de exercícios físicos, o auxílio de profissionais como psicólogos, nutricionistas, psiquiatras, endocrinologistas, e muitos outros profissionais, pode ser essencial no tratamento da obesidade do adolescente.

Compartilhem suas histórias nos comentários abaixo. Muitas pessoas podem ser motivadas e ajudadas por vocês!

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.