O tratamento do transtorno de compulsão alimentar é um desafio, porque a maioria das pessoas sentem vergonha de sua doença e tentam esconder o seu problema. Muitas vezes, eles são tão bem sucedidos que até os familiares próximos e amigos não sabem que a pessoa tem o problema.

Distúrbios alimentares exigem um plano de tratamento abrangente, que é ajustado para atender às necessidades de cada paciente. O objetivo do tratamento para o transtorno de compulsão alimentar é ajudar o ganho de controle da pessoa sobre seu comportamento alimentar. O tratamento geralmente envolve uma combinação de estratégias para otimizar seus efeitos.

O mais importante acompanhamento para quem sofre deste distúrbio é através da psicoterapia. É um tipo de aconselhamento individual, que se concentra na mudança de pensamento (terapia cognitiva) e comportamento (terapia comportamental) de uma pessoa com um distúrbio alimentar. O tratamento inclui técnicas práticas para o desenvolvimento de atitudes saudáveis ​​em relação ao alimento e ao peso, assim como abordagens para mudar a maneira como a pessoa responde a situações difíceis. Deve ser feito por um psicólogo e, em casos mais graves, ter também o acompanhamento feito por um psiquiatra.

O psiquiatra pode receitar medicamentos para o tratamento. Alguns antidepressivos, chamados inibidores seletivos da recaptação de serotonina (SSRIs, como Prozac e Paxil), podem ser usados para ajudar na ansiedade e controlar a depressão associada a um distúrbio alimentar. A droga anticonvulsivante Topamax pode reduzir os episódios de compulsão alimentar, mas os efeitos colaterais podem ser graves. Nada de sair se automedicando ou partir direto para os remédios apenas porque são a solução mais rápida. Muitas vezes eles são mais rápidos mas não tão eficientes para manter mudanças duradouras.

Compulsão por comer

A compulsão alimentar pode passar anos desapercebida por pessoas próximas. O mais importante no tratamento é que a própria pessoa reconheça sua doença e busque se tratar o quanto antes. (Foto: hungryheart.org)

O aconselhamento nutricional tem também seu papel importante para que a pessoa se alimente melhor e assim, também não se desespere ao sentir fome. Esta estratégia é projetada para ajudar a restaurar padrões normais de alimentação, e para ensinar a importância da nutrição e uma dieta equilibrada.

O grupo e/ou terapia familiar podem fazer com que a pessoa se fortaleça ainda mais nessa fase delicada, ajudando-a a superar o momento de dificuldade. O apoio da família é muito importante para o sucesso do tratamento. É importante que os membros da família entendam o transtorno alimentar e reconheçam seus sinais e sintomas. Pessoas com distúrbios alimentares encontram apoio e discutem abertamente seus sentimentos e preocupações com outras pessoas que compartilham experiências e problemas comuns nestes grupos

Assim como outros distúrbios alimentares, transtorno de compulsão alimentar é um sério problema que pode ser resolvido com tratamento adequado. Com o tratamento e compromisso, muitas pessoas com este transtorno podem superar o hábito de comer demais e aprender padrões alimentares saudáveis, sem a necessidade de intervenções cirúrgicas ou soluções mais drásticas.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.