A palavra displasia pode causar o terror em muitas pessoas, mesmo podendo não significar que um problema grave esteja acontecendo. Por isso, é importante esclarecer o significado e contextos onde a displasia pode aparecer, para que as pessoas não tenham dúvidas. Vale lembrar que nosso artigo é só uma referência, e não substitui os conselhos de um médico qualificado.

O que é displasia?

Displasia é um termo amplo que se refere ao desenvolvimento anormal de células dentro de tecidos ou órgãos. Pode levar a uma ampla gama de condições que envolvem tecido aumentado ou células pré-cancerosas. A displasia do desenvolvimento é comum em crianças e pode afetar muitas partes do corpo, incluindo o esqueleto. Quando os adultos tem displasia, isso geralmente significa que há um aumento no crescimento celular anormal, por exemplo, no pré-câncer.

Diferentes tipos de displasia tem diferentes fatores de risco. Infelizmente, não é possível prevenir todos os tipos de displasia, mas evitar alguns fatores de risco pode ajudar em alguns casos. A displasia pode ocorrer em qualquer área do corpo. Também pode acompanhar outros distúrbios. Existem centenas de diferentes tipos de displasia.

Descrevemos algumas das formas mais comuns de displasia em crianças e adultos abaixo.

Conceito de displasia do desenvolvimento em crianças

Displasia em crianças geralmente afeta o desenvolvimento da criança. Pode estar presente antes mesmo de a criança nascer. O diagnóstico precoce pode levar a um tratamento rápido em muitos casos.

Displasia do quadril

Algumas crianças tem uma condição chamada displasia da anca ou displasia do desenvolvimento do quadril. Isso quer dizer que a articulação do quadril está na forma errada e/ou o soquete do quadril não está no lugar correto para cobrir e apoiar o osso da perna

O resultado é mais desgaste em todas as partes da articulação do quadril. A criança pode ter pernas de diferentes comprimentos,uma marcha incomum e menos flexibilidade de um dos lados.

O tratamento pode incluir o uso de um arnês ou cirurgia. Recém-nascidos e bebês até 6 meses podem precisar usar um cinto macio por até 3 meses para manter o quadril no lugar. Isso é bem sucedido na maioria dos casos.

No entanto, se isso não funcionar, um médico pode recomendar um suporte mais resistente.

Às vezes, o médico precisará reposicionar suavemente o fêmur da criança antes de aplicar o molde. Bebês entre 6 meses e 2 anos de idade também podem precisar de um suorte após o reposicionamento do fêmur. Ocasionalmente, uma criança precisará de uma cirurgia aberta para colocar o osso de volta no encaixe.

para descobrir o que ela pode significar. (Foto: News.com.au)

Displasia esquelética

A displasia esquelética é responsável por muitos distúrbios, incluindo deformidades ósseas, deficiência de crescimento e baixa estatura. Existem mais de 350 distúrbios do esqueleto que são classificados como displasia. Eles resultam de uma mutação genética. O diagnóstico geralmente acontece antes do nascimento ou na infância.

Displasia ectodérmica

As displasias ectodérmicas afetam a pele, o cabelo, as unhas e as glândulas sudoríparas. Existem mais de 150 tipos de displasia ectodérmica. Algumas podem ser visíveis no nascimento, mas pode levar anos para obter um diagnóstico correto para outros tipos. As displasias ectodérmicas são hereditárias. Os pais podem passar as mudanças genéticas para seus filhos.

Significado de displasia

A displasia pode ser um sinal de câncer, e é importante acompanhar com exames mais profundos

Definição de displasia em adultos

Nos adultos, a displasia geralmente se refere ao crescimento anormal de células ou tecidos. Quando essas células continuam a crescer, elas podem criar tumores. Displasia pode afetar qualquer número de tecidos no corpo, mas algumas formas são mais comuns do que outras.

Displasia cervical

A displasia do colo do útero refere-se a células anormais na superfície do colo do útero. Existem dois tipos:

Displasia cervical de baixo grau: este tipo progride lentamente e muitas vezes melhora sozinho.

Displasia cervical de alto grau: este tipo pode levar ao câncer do colo do útero.

Síndromes mielodisplásicas

As síndromes mielodisplásicas são um tipo de displasia na medula óssea. Em alguns casos, pode levar à leucemia. Esse crescimento anormal pode significar que a medula óssea não produz células sanguíneas saudáveis ​​suficientes para funções corporais normais. Ala pode afetar pessoas mais jovens, mas geralmente ocorre em adultos mais velhos e especialmente naqueles com mais de 65 anos.

Displasia dos quadris em adultos

As pessoas que têm um diagnóstico de displasia da anca na idade adulta provavelmente tiveram a doença desde a infância. Estima-se que 35.000 substituições de quadris a cada ano são devido à displasia.

Causas da displasia

As causas da displasia são complexas e não as compreendemos completamente. Alguns tipos, como a displasia esquelética e ectodérmica, derivam de mutações no DNA de um feto em desenvolvimento. O que causa as mutações não é claro, no entanto. Para displasia em adultos, também pode haver uma conexão com a dieta, mas as pesquisas não confirmaram isso.

A displasia dos quadris é até 12 vezes mais provável quando há uma história familiar do problema. É também associada ao fato de ser mulher, cuidados impróprios com bebê, entre outras causas. Embora os genes pareçam desempenhar um papel, eles podem não ser uma causa direta. Fatores genéticos podem tornar a pessoa mais suscetível, mas podem ser fatores ambientais que levam a sintomas nessas pessoas.

A displasia cervical pode levar ao câncer cervical. Os cientistas estão tentando entender o que causa isso. Um elo comum parece ser a presença de um tipo de papilomavírus humano (HPV). Este não é o mesmo tipo de HPV que causa as verrugas genitais. O sistema imunológico também pode desempenhar um papel. Pessoas com um sistema imunológico enfraquecido podem ter um risco maior de displasia cervical. Além disso, fluidos cervicais de fumantes podem conter altas concentrações de substâncias químicas da fumaça do cigarro. É sugerido que isso pode aumentar o risco de essas células se tornarem anormais.

Sintomas da displasia

A displasia pode afetar muitas áreas do corpo e os sintomas dependem do tipo de displasia. Identificar os sintomas corretamente pode significar um diagnóstico mais rápido e uma melhor chance de tratamento eficaz.

Displasia cervical: Geralmente não há sintomas. As verrugas genitais são um sintoma da exposição ao HPV, mas este é um tipo diferente de HPV do que aquele que está ligado à displasia. A displasia cervical pode aparecer durante o exame de Papanicolau. Isso não significa que uma pessoa tenha câncer, mas o câncer pode se desenvolver no futuro.

Displasia dos quadris: O sinal mais comum de displasia da anca é a dor no quadril. Também pode haver um ruído de estalo no quadril ou dor na virilha que dura meses.

SMD: Pode não haver sintomas, mas um exame de sangue de rotina pode mostrar uma baixa contagem de glóbulos vermelhos, contagem de plaquetas ou contagem de glóbulos brancos.

Displasia ectodérmica: Os diferentes tipos de displasia ectodérmica afetam os cabelos, dentes, unhas, pele e glândulas sudoríparas de diferentes maneiras. Os sintomas podem incluir cabelos quebradiços, dentes anormais, unhas dos pés descoloridos e pele seca e escamosa.

Displasia esquelética: No nanismo, uma pessoa pode ter baixa estatura ou crescimento lento, uma cabeça invulgarmente grande, membros curtos, rigidez articular, ossos curvos e dentes apinhados. Outros tipos afetam o corpo de maneiras diferentes.

Tratamento da displasia

O diagnóstico e o tratamento dependerão do tipo de displasia. A maioria dos tratamentos se concentra na redução dos sintomas, e alguns são específicos para o tipo de displasia. Alguns tratamentos comuns estão listados abaixo.

Tratamento de displasia esquelética

Uma pessoa com esta condição pode ter as seguintes opções:

  • Hormônios de de crescimento
  • Aparelhos para melhorar o aparecimento de dentes
  • Aparelhos e suportes para melhorar a curvatura da coluna
  • Cirurgia

Tratamento de displasia ectodérmica

Opções incluem:

  • Praticar a higiene dental regular
  • Usar cremes tópicos para sintomas da pele
  • Aplicação de tratamentos antibacterianos no couro cabeludo
  • Usar sprays salinos para nariz seco ou colírio para os olhos

Tratamento de displasia cervical

Tratamentos cirúrgicos populares incluem:

  • Cirurgia a laser para destruir tecido cervical anormal
  • Criocauterização, que usa temperaturas extremamente baixas para destruir células anormais
  • Excisão eletrocirúrgica de alça, na qual o médico usa um fio de alça fino para remover células anormais visíveis no colo do útero

A pessoa deve discutir como cada opção pode afetar sua fertilidade e maneiras de resolver esse problema, se ainda quiser ter filhos no futuro. Isso pode incluir o congelamento de ovos.

Tratamento da SMD

O transplante de células-tronco é o único tratamento disponível para a SMD. Se isso não for uma opção, a pessoa pode ter acesso a métodos de apoio, como transfusões de sangue e fatores de crescimento das células do sangue.

Prevenção da displasia

Alguns procedimentos podem reduzir as chances de desenvolver alguns tipos evitáveis ​​de displasia. É necessário manter uma dieta saudável e estilo de vida, evitando fumar tabaco ou cigarros. No entanto, a displasia abrange uma gama de condições, e algumas delas podem ter causas genéticas. Não há evidências que apoiem qualquer estilo de vida ou outras alterações que possam reduzir o risco de displasia.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas e iremos ajudar!

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.