Avanços na cirurgia de perda de peso têm proporcionado pacientes com vários procedimentos bariátricos para escolher. Não há um tipo de cirurgia que seja melhor que a outra, e todas têm os mesmos riscos e efeitos colaterais. O tipo de cirurgia que você escolher é baseada em uma série de fatores, tais como o seu IMC, seus hábitos alimentares, sua idade e sua cobertura de seguro médico. Seu médico também terá as suas preferências pessoais em conta enquanto eles fazem as recomendações, de modo a informar o paciente sobre os diferentes tipos de cirurgia bariátrica para a futura escolha.

Roux-en-Y bypass gástrico

Roux-en-Y bypass gástrico (RGB) é o tipo mais comum de cirurgia bariátrica. Durante este procedimento, os cirurgiões utilizam grampos para criar uma bolsa de estômago que pode conter parte dos alimentos. O resto do estômago é selado e deixado de ser utilizados. Os cirurgiões então dividem e cortam o intestino delgado, anexando o comprimento inferior do intestino na nova bolsa estomacal. O comprimento da parte superior do intestino delgado (ainda ligado ao velho estômago) é grampeada ao novo, intestino delgado ativo, criando um novo formato em “Y” para o conjunto.

Banda gástrica

Banda gástrica é popular porque ela é vista como um processo reversível. Durante a bandagem, os cirurgiões aplicam uma banda ajustável flexível em torno da porção superior do estômago. Eles também colocam uma porta em algum lugar ao longo do abdômen do paciente, e conectam a porta na banda. Através da porta, os médicos enchem ou removem solução salina a partir da banda para fazer a abertura do estômago maior ou menor. A abertura maior permite que os alimentos viajem da bolsa para a parte inferior do estômago mais rapidamente, permitindo que os pacientes  comam  mais. A banda menor é mais restritiva e faz com que os pacientes se sintam cheios mais rápido e por mais tempo. Os médicos podem adicionar ou remover o líquido, muitas vezes, criando uma experiência personalizada de perda de peso. Se o paciente não quiser mais utilizar a banda, os cirurgiões podem removê-la completamente.

Tipos de cirurgia bariátrica

Além dos tipos aqui citados, que são os mais usados, há muitas outras variações, como algumas das mostradas na foto. (Foto: gordinhosoperados.com.br)

Gastroplastia vertical

Gastroplastia vertical é um procedimento que combina elementos da Roux-en-Y e da banda gástrica. Em vez de separar a bolsa do estômago, a partir do estômago restante, este procedimento gera uma pequena janela circular no tecido do estômago. Próxima a esta janela, o estômago é “enfaixado”. A parte superior da janela é grampeada, bloqueando o acesso do alimento a bolsa do estômago. Este método resolve um problema de bandas em comum: o deslizamento. Porque a banda está embutida no estômago vez de em cima dele, é mais provável que fique no lugar.

Bypass Gástrico DISTAL

No duodeno, na divisão biliopancreática (distal), os cirurgiões criam uma pequena bolsa de estômago acima da válvula que permite que os alimentos entrem no do intestino delgado. Em seguida, o remanescente do estômago é removido do corpo. Cirurgiões anexam a bolsa em um pequeno pedaço do intestino delgado. Este procedimento tem um maior risco de desnutrição e deve ser utilizado apenas em casos extremos.

Grampeamento do estômago

Cirurgiões usam grampos para dividir o estômago em uma parte superior e uma parte inferior. Eles deixam um pequeno espaço de um lado do estômago para os alimentos poderem passar a partir da seção superior menor para a secção inferior maior do estômago. Os pacientes só podem comer tanto quanto a pequena parte superior do estômago mantém. Este processo não envolve movimento ou anexação de intestinos, já que o alimento passa por todo o estômago, tal como com a banda gástrica.

Quando optar pela cirurgia bariátrica?

Decidir pela cirurgia bariátrica não é algo leviano. Ela requer mudanças drásticas no seu estilo de vida, suas preferências pessoais e muita fora de vontade. São comuns os relatos de pessoas que vomitam as primeiras refeições após as cirurgias porque comeram demais, a perda de cabelos por conta de alimentação com falta de nutrientes e muitos outros problemas.

Porém, para alguns, pode ser a única opção. Você deve sentar com seu médico, um nutricionista e um profissional da área da educação física para planejar bem sua cirurgia, começando já a mudar sua rotina para se adaptar a situação. E quem sabe, a cirurgia nem seja necessária?

Pense muito bem antes de tomar a decisão e boa sorte nessa nova fase da sua vida.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.