Elas vêm em todos os tamanhos, formas e cores diferentes. A semente é o embrião de uma planta e a origem da nutrição para muitos animais, incluindo os seres humanos. A planta preenche cada semente com altas concentrações de vitaminas, minerais, proteínas, óleos essenciais e enzimas adormecidas. Se você está procurando uma fonte de nutrientes barata, simples e prática, as sementes são o que você procura. E muitas delas, inclusive, podem ter poderes curativos envolvidos com estes nutrientes.

Como comer sementes?

Há apenas uma maneira de obter nutrição a partir de sementes: comendo-as cruas. Uma vez que são expostas ao calor, podem produzir substâncias tóxicas, e as vitaminas, minerais e óleos essenciais se perdem. Ao assar uma semente, a sua classificação se move de um alimento vivo a um alimento morto. Não há nenhuma semente na terra que possa resistir à torrefação ou aquecimento, sem quebrar seus componentes nutricionais. Isso significa que você pode moer as sementes, misturar em várias receitas mas nunca aquecê-las. E sempre se lembre de hidratar, germinando ou brotando as sementes, para otimizar ainda mais os nutrientes e os poderes curativos.

Vale lembrar que os efeitos das sementes em sua saúde raramente são imediatos. O uso contínuo e prolongado delas é que fará efeitos permanentes sobre sua saúde.

As 10 sementes com propriedades medicinais!

Dentre todas as sementes que encontramos em nossas pesquisas, 10 delas tem destaque pelos seus “poderes curativos”. Isso não significa que estas sementes devam substituir elementos de sua dieta, nem que elas vão ser melhores que uma consulta com um médico. Porém, com sua inclusão na dieta balanceada e sob a tutela de um nutricionista, as sementes abaixo podem ter poderes curativos cada vez mais eficientes.

Sementes de chia

Carregados com vitaminas e minerais, são uma excelente fonte de fibras, proteínas e antioxidantes, e são a fonte vegetal mais rica de ômega-3. O consumo de sementes de chia pode ajudar a reduzir a dor nas articulações, ajuda na perda de peso, entregar um impulso de energia e proteger contra doenças graves, como diabetes e doenças cardíacas. As sementes são sem glúten, o que também os torna atraente para as pessoas com doença celíaca ou uma aversão ao glúten.

Sementes de chia são uma fonte de ácido alfa-linolênico. A pesquisa tem relacionado o consumo deste ácido com a boa saúde do coração, melhora o funcionamento do cérebro e outros eventuais benefícios para a saúde, tais como a melhoria na depressão ou a artrite reumatoide, além de também benefícios ao fígado.

Sementes de cânhamo

A melhor maneira de garantir que o corpo tem material aminoácido o suficiente para fazer as globulinas é comer alimentos ricos em proteínas de globulina. Como a proteína de sementes de cânhamo é de 65% globulina, e também inclui expressivas quantidades de albumina, a sua proteína é prontamente disponível numa forma muito semelhante à encontrada no plasma sanguíneo. Comer sementes de cânhamo dá ao corpo todos os aminoácidos essenciais necessários para manter a saúde, e fornece os tipos e quantidades necessárias de aminoácidos que o corpo precisa para fazer de albumina sérica e soroglobulinas humanas, reforçando o sistema imunológico. Comer sementes de cânhamo pode ajudar, se não curar, as pessoas que sofrem de doenças de imunodeficiência. Esta conclusão é corroborada pelo fato de que as sementes de cânhamo serem usadas para tratar deficiências nutricionais provocadas por tuberculose e as pessoas que sofrem com efeitos colaterais dos coquetéis para o tratamento do HIV.

Consumindo sementes

Consumir sementes diversas dará ao seu corpo nutrientes, minerais e vitaminas essenciais no combate à doenças e problemas de saúde. (Foto: healthyeating.sfgate.com)

Sementes de romã

Em palavras simples, o suco de romã bombeia o nível de oxigênio no sangue. Os antioxidantes, ricamente presentes nas sementes de romã, combatem os radicais livres e previnem a formação de coágulos sanguíneos. Isto eventualmente ajuda o sangue a fluir livremente em seu corpo, por sua vez, melhorando os níveis de oxigênio no sangue. Romãs são especialmente ricos em polifenóis, uma forma de  antioxidante que ajuda a reduzir o risco de câncer e doenças cardíacas. As sementes são ricas em vitamina C e potássio, baixas em calorias (80 por porção, o que é um pouco menos de um terço de uma fruta média), e uma boa fonte de fibra.

Romãs podem ajudar também a prevenir o endurecimento das paredes das artérias com excesso de gordura, deixando suas artérias livres de gordura e de bombeamento com antioxidantes, devido à propriedades de controle do colesterol presentes na fruta. Pode também reduzir os danos na cartilagem para aqueles atingidos com artrite, pois suas propriedades tem a capacidade para diminuir a inflamação e combate as enzimas que destroem a cartilagem.

Sementes de linhaça

A linhaça comprovadamente suprime o apetite e ajuda a perder peso.Os principais benefícios para a saúde são devidos ao seu rico conteúdo de ácido alfa-linolênico, fibra alimentar, e lignanas.

O ácido alfa-linolênico, um ácido graxo essencial, é um poderoso anti-inflamatório, diminuindo a produção de agentes que promovem a inflamação. Estudos indicam que a linhaça e seus nutrientes são capazes de bloquear o crescimento de tumores em animais e podem ajudar a reduzir o risco de câncer em seres humanos. Lignanas são fitoestrógenos, compostos de plantas que têm efeitos similares ao estrogênio e propriedades antioxidantes. Os fitoestrógenos ajudam a estabilizar os níveis hormonais, reduzindo os sintomas da TPM e menopausa, e, potencialmente, reduzindo o risco de desenvolver câncer de mama e de próstata.

A fibra de semente de linhaça promove a função intestinal saudável, podendo diminuir os níveis de colesterol no sangue, ajudando a reduzir o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral.

Sementes de abóbora

Adicione as sementes de abóbora à sua lista de alimentos ricos em proteínas. 100 gramas de sementes, numa base diária, proporcionam 54 por cento das necessidades diárias em termos de proteína. As sementes de abóbora são também uma rica fonte de vitaminas do complexo B, como tiamina, riboflavina, niacina, ácido pantotênico, vitamina B-6 e folatos.

Para aqueles que estão no fundo do poço, sementes de abóbora pode ajudar a combater a depressão. O componente químico L-triptofano é o ingrediente secreto para impulsionar o seu humor. Estudos sugerem que as sementes de abóbora podem ajudar a prevenir certas formações de pedras nos rins e ajudar no combate de parasitas e vermes do sistema digestivo.

Sementes de damasco

Rico na vitamina B17, ela ataca as células cancerosas, e, portanto, pode ajudar a prevenir o câncer em nossos corpos. Sementes de maçã, sementes de uva, milho, favas, a maioria das frutas, mandioca e muitas outras sementes, feijões, legumes e grãos são também ricos nessa vitamina, desde que sejam orgânicos. É uma riqueza concentrada na semente de Damasco, de um só nutriente, mas como nossas dietas de hoje são altamente pobres nesse nutriente, é importante compensar de alguma forma.

Sementes de gergelim

As sementes de gergelim são uma boa fonte de manganês, cobre, cálcio, magnésio, ferro, fósforo, vitamina B1, zinco e fibras alimentares. Para além destes nutrientes importantes, as sementes de gergelim contêm duas substâncias únicas: sesamina e sesamolina. Ambas pertencem a um grupo de fibras benéficas especiais, chamadas lignanas, que tem um efeito de abaixamento de colesterol em seres humanos, ajudando na prevenção da hipertensão arterial e aumentando o fornecimento de vitamina E em animais. Sesamina também foi encontrada para proteger o fígado contra danos oxidativos.

Sementes de girassol

Sementes de girassol são uma excelente fonte de vitamina E, antioxidante solúvel em gordura. A vitamina E viaja por todo o corpo neutralizando os radicais livres que, de outra forma, poderiam danificar as estruturas e as moléculas que contêm gorduras, tais como membranas de células, as células do cérebro, e o colesterol. Estas sementes tem alguns dos mais altos conteúdos totais de fitoesterois de sementes. Os fitoesteróis são compostos encontrados em plantas que têm uma estrutura química muito semelhante à do colesterol, e, quando presentes na dieta em quantidades suficientes, são capazes de reduzir os níveis de colesterol no sangue, aumentando a resposta imune e diminuindo o risco de certos tipos de câncer.

Sementes de girassol são uma boa fonte de magnésio. Numerosos estudos demonstraram que o magnésio ajuda a reduzir a gravidade da asma, diminuir a tensão arterial elevada, prevenindo enxaquecas, bem como ajudando na redução do risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral.

Sementes de cominho

Cominho é útil para distúrbios digestivos e até mesmo como um anti-séptico. As próprias sementes são ricas em ferro e ajudam a aumentar a potência do fígado. Também ajuda a aliviar sintomas de resfriado comum. Se você tiver uma dor de garganta, tente adicionar um pouco de gengibre seco e cominho à aguá, para ajudar a acalmá-lo. Há indícios que o cominho pode ajudar na aceleração do metabolismo, além de eficiente no suporte ao sistema imunitário, problemas de asma e artrite.

Sementes de uva

Sementes de uva têm uma grande concentração de vitamina E, flavonóides, ácido linoleico e polifenóis. O extrato de semente de uva pode prevenir doenças cardíacas, como pressão alta e colesterol alto. Ao limitar a oxidação lipídica, compostos fenólicos em sementes de uva podem reduzir a inflamação também, além de efeitos de combate à células cancerosas. Existe até a possibilidade que as sementes de uva são capazes de combater vírus no organismo.

Você já incluiu sementes na sua dieta? Quais? Teve resultados?

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.