No artigo de hoje vamos falar sobre a respiração na corrida, vejam como respirar cada vez melhor. Quais as técnicas para respirar melhor durante a corrida? É melhor respirar pela boca ou pelo nariz?

A respiração é fundamental para o desempenho em qualquer atividade física, principalmente na corrida. Muitas pessoas respiram pelo nariz, outras pela boca, mas qual é o ideal?

Essa é apenas uma das dúvidas comuns entre os corredores, não existe uma resposta correta, uma vez que não há regras para definir a sua respiração, mas existem diversas dicas que podem te ajudar na obtenção de oxigênio e melhoria do processo respiratório.

Qual a importância da respiração na corrida?

Ela tem papel fundamental para qualquer corredor, tendo relação direta com o seu desempenho. Promover melhorias na forma como você inspira e expira certamente irá te beneficiar nos treinos e nas provas e permitir que você vá mais longe ou consiga ser mais rápido.

A respiração oferece o suporte necessário de oxigênio para a realização do exercício físico. Quanto mais eficiente for o transporte de oxigênio para os músculos feito pelo seu organismo, maior será o seu aproveitamento e desempenho na corrida.

Quanto mais vezes respirar melhor?

Se você acha que respirar muitas vezes quer dizer mais oxigênio chegando aos músculos, você está errado. Quando você estiver correndo, busque a realização de respirações curtas e superficiais.

O corredor jamais vai conseguir manter o desempenho por muito tempo se estiver respirando constantemente de forma profunda e prolongada. Nestas condições acontece uma situação chamada de hiperventilação, que representa aquela respiração desordenada e cada vez mais forte.

Esta condição é ruim e interfere no seu desempenho, podendo impedir que o corredor continue a atividade. A resposta certa é respirar com ritmo, mas como seria isso? O corredor precisa se educar quanto à respiração, ela deve acontecer ao ritmo da corrida.

Como melhorar a respiração para correr?

Dicas para respirar melhor na corrida

Diversos corredores apontaram a respiração como uma das principais dificuldades quando começaram a correr. Sendo assim, é fundamental que haja um o ciclo constante de inspiração e expiração.

A respiração cíclica favorece o sistema respiratório de tal forma que permite inalar mais oxigênio e exalar mais dióxido de carbono. Condições favoráveis para a atividade física.

Para deixar o ciclo respiratório o mais confortável possível, os especialistas indicam que o corredor tente realizar 3 passadas a cada inspiração e 2 passadas a cada expiração.

A intensidade da corrida tem ligação direta com a sua respiração. Reduza a velocidade se sentir-se sem ar, a diminuição do ritmo interrompe essa sensação de sufoco e falta de ar.

É melhor respirar pela boca ou pelo nariz?

O mais indicado é inspirar pelo nariz e expirar pela boca, mas como já foi dito isso não é uma regra. Quando o corredor expira pela boca, o mesmo deve buscar exalar totalmente o ar, favorecendo a eliminação mais eficiente de dióxido de carbono.

Quando a pessoa tem problemas respiratórios como, por exemplo, asma e/ou bronquite, é importante ter cuidado com o horário e o tempo de treino. Evitar corridas em temperaturas muito baixas e quando o ar está muito seco é o mais indicado.

Fortalecimento muscular ajuda na respiração?

Pouquíssimas pessoas sabem que o fortalecimento dos músculos que auxiliam no movimento respiratório pode ajudar no desempenho durante a corrida, ou seja, malhar abdômen, diafragma, intercostais e paravertebrais permite melhoria na respiração.

Para conseguir absorver a maior quantidade de oxigênio possível, a pessoa precisa aprender como realizar a respiração abdominal. Para entender melhor essa diferença, sugerimos que realize a respiração natural e em seguida realize a respiração concentrando na contração do abdômen. Certamente você vai notar a diferença quando a quantidade de ar inspirada.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.