A narcolepsia é uma doença crônica do sistema nervoso central. A sonolência diurna excessiva é o principal sintoma e está presente em 100% dos pacientes com narcolepsia. Outros sintomas primários de narcolepsia incluem:

  • Perda do tônus ​​muscular (cataplexia);
  • Percepções distorcidas (alucinações hipnagógicas);
  • Incapacidade de se mover ou falar (paralisia do sono);
  • Podem ser incluídos também sono noturno perturbado e comportamento automático (pacientes realizam certas ações sem consciência). Todos os sintomas de narcolepsia podem estar presente em várias combinações e graus de severidade.

A narcolepsia geralmente começa em adolescentes ou adultos jovens e afeta igualmente ambos os sexos. O primeiro sintoma a aparecer é a sonolência diurna excessiva, que pode permanecer não reconhecida por um longo período de tempo já que se desenvolve gradualmente ao longo do tempo. Os outros sintomas podem acompanhar sonolência diurna excessiva por meses ou anos.

A prevalência da narcolepsia é semelhante ao da doença de Parkinson e da esclerose múltipla. Nos Estados Unidos, o Instituto Nacional de Distúrbios Neurológicos e Derrame estima que a narcolepsia afeta uma em cada 2.000 pessoas. No entanto, em alguns países (por exemplo, Israel), a prevalência da narcolepsia é muito mais baixa (um por 500.000) enquanto que outros países (por exemplo, Japão), é muito mais elevada (uma por 600). A Associação Americana do sono estima que cerca de 125.000 a 200.000 americanos sofrem de narcolepsia, mas apenas menos de 50.000 são diagnosticados corretamente.

Sintomas da narcolepsia

Muitos adolescentes que tem problemas de cansaço excessivo durante o dia tem narcolepsia e dificilmente serão diagnosticados. (Foto: alvaradohospital.com)

A narcolepsia permanece muitas vezes não diagnosticada por vários anos. Isso pode ocorrer porque os médicos não consideram o diagnóstico da narcolepsia com freqüência suficiente. Eles podem pensar na narcolepsia apenas em pessoas que têm o principal sintoma da sonolência diurna excessiva. A narcolepsia pode não ser considerada na avaliação de pacientes que chegam aos médicos se queixando de fadiga, cansaço, ou problemas com a concentração, atenção, memória e desempenho, e outras doenças (convulsões, doenças mentais, etc.).

O tratamento da narcolepsia inclui terapias com drogas e comportamentais. As opções de tratamento são individualizadas, dependendo da gravidade dos sintomas, das condições de vida (por exemplo, o tipo de trabalho e responsabilidades) dos pacientes, e os objetivos específicos da terapia (por exemplo, o alívio de certos sintomas). A gestão eficiente dos sintomas leva semanas ou meses para alcançar um nível satisfatório e exige uma comunicação contínua entre o médico, o paciente, familiares e outros. A gestão organizada e conjunta de um bom tratamento normalmente produz uma melhora significativa dos sintomas, em vez de uma resolução de todos os sintomas.

Um estudo de sono pode talvez ser necessário também para avaliar a severidade de sua narcolepsia. Se você sente um cansaço ou constante fadiga, tente conversar com o médico sobre esta possibilidade e comece um tratamento o quanto antes. A qualidade de seu sono não é algo para ser levado de forma leviana.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.