Uma doença incurável é exatamente o que diz o nome. Pela medicina tradicional, uma condição que a medicina tradicional não consegue curar. Uma situação como essas causa desespero, angústia, dor e sofrimento não apenas para os indivíduos que sofrem da doença, mas também a todos seus familiares e amigos.

A doença pode não ser curável, mas a dor e o sofrimento que vem com ela podem ser facilmente tratáveis, aliviando tanto os sintomas quanto a doença em si. E fora da medicina tradicional, a medicina alternativa já encontrou muitos meios para aliviar ainda mais os sintomas. Muitas vezes, encontrou até meios para tratar as doenças que a medicina tradicional ainda não encontrou, deixando pacientes, familiares, e amigos com a esperança de um futuro muito mais promissor.

Doenças graves e sem tratamento: tem cura?

Toda doença tem um tratamento, mesmo que ela não tenha uma cura definitiva. O tratamento é uma forma de aliviar os sintomas, melhorando a qualidade de vida de um indivíduo e consideravelmente prolongando a extensão da vida de uma pessoa.

Não se pode confiar, contudo, nas afirmações de gurus da medicina alternativa, de que toda doença é curável, e que tudo é influência do ambiente ou de uma alimentação tóxica. Há um fundo científico nessas afirmações, mas quando elas são transformadas em verdades absolutas pelos gurus, isso se torna um problema, e pode agravar a situação de saúde de um indivíduo.

Conviver com doenças incuráveis

Uma doença incurável é, pelo menos, tratável. Na medicina alternativa ela terá sempre opções de tratamento para aliviar os sintomas, dores, e o sofrimento das doenças incuráveis. (Foto: easyhealthoptions.com)

Não existe fórmula milagrosa para doenças incuráveis

Quando começamos a pesquisa para escrever este artigo, esperávamos nos deparar com muitas pessoas falando sobre curas milagrosas, oferecendo soluções para os mais diversos problemas, misturas, líquidos, ervas, entre outros para a cura definitiva. Todos esses tinham algo em comum: em conjunto, estavam vendendo algum tipo de produto ou serviço exclusivo. Quando a esmola é demais, o santo desconfia, não é?

Devemos separar o joio do trigo nos tratamentos das doenças sem cura

Dentro dos tratamentos de doenças incuráveis, consistentemente encontramos relatos de pessoas próximas e até de fontes científicas sobre a homeopatia, a acupuntura, e a antroposofia.

Em comum, as três adotam o que é chamado de atendimento holístico, envolvendo todo um contexto de atendimento e carinho ao paciente. Isso inclui muito de psicologia, de tratamento das ânsias e angústias que acometem muitos indivíduos, que podem acabar somatizando esses problemas, piorando certas condições. Portanto, já começa aí um tratamento diferenciado: ao ouvir mais o paciente, entender melhoro que está acontecendo, o tratamento holístico está tratando a parte psicológica, parte tal que geralmente é muito afetada em indivíduos acometidos por uma doença incurável.

Há também a questão do efeito placebo. O placebo já é uma questão mais delicada. Por um lado, há uma questão filosófica que diz que se o placebo ajuda no tratamento de uma doença, ele é positivo para um indivíduo. Por outro, como o placebo é um “remédio de mentira”, ele pode estar piorando a condição do paciente, além de outras questões éticas. Para quem não sabe, efeito placebo é um efeito psíquico causado pela percepção do cérebro de que um remédio causa um certo efeito mas, na verdade, o remédio não causa nada (o remédio pode ser só uma bolinha de farinha, por exemplo).

Os tratamentos para doenças graves que funcionam

Nesses três exemplos de medicinas alternativas no tratamento de doenças incuráveis, não é só a parte psicológica que funciona. Há muito mais além disso. Exemplos que encontramos:

  • Na homeopatia: o homeopata poderá perguntar sobre sua alimentação, sua rotina, e através destes questionamentos, entender melhor seu metabolismo e propor um tratamento mai adequado para sua situação, incluindo mudanças na alimentação e remédios homeopáticos adequados.
  • Na antroposofia: após os questionamentos iniciais, o médico irá propor um tratamento adequado, que pode incluir florais, picadas de abelhas, entre outros tratamentos não tradicionais e que já tiveram comprovação científica.
  • Na acupuntura: no momento do atendimento, o acupunturista fará questionamentos sobre sua rotina, verificará seu pulso, sua língua, e perguntará sobre pontos de dor. As agulhas então serão aplicadas em certos pontos do corpo.

Em todos os casos, os bons profissionais vão recomendar um tratamento multiprofissional para os casos mais delicados. Por exemplo, doenças que exijam um tratamento de mais de uma especialidade médica, eles irão recomendar outros profissionais para auxiliar no tratamento.

Doença incurável não é uma doença que não seja tratável

Toda doença é então tratável, seja pela medicina tradicional, ou pela medicina alternativa. Pela medicina alternativa, porém, é mais fácil encontrar um tratamento para uma doença incurável porque os médicos dessas áreas tendem a pensar fora da caixa. Esses profissionais se mantém atualizados, como todos os outros, e ainda tendem a atuar mais em grupo, com um tratamento muito mais completo.

Um relato pessoal, descobri recentemente que convivo com uma doença incurável, que é a enxaqueca (uma doença genética). Só descobri isso por conta da insistência de meu acupunturista, pois tive uma dor de cabeça intensa por mais de 4 dias, e achei que como todas as outras vezes anteriores, eu estava com sinusite. Por insistência dele, que disse que essa dor não era de sinusite, fui a um otorrino e a um neurologista. Descobri que tenho enxaqueca e ainda por cima, esses 4 dias de enxaqueca me causaram um AVC, em que perdi 25% da visão periférica. Tudo por causa do atendimento e carinho de um acupunturista. O mesmo atendimento eu tinha com meu homeopata que, infelizmente, veio a falecer algum tempo atrás.

Você convive com uma doença incurável? Como você convive com essa doença? Diga nos comentários como faz para viver com essa doença e os tratamentos por você adotados!

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.