Ninguém deve estar sujeito a tratamento que não deseja receber, mas há mais na história do que simplesmente recusar o tratamento. Como parentes, amigos, ou profissionais de saúde, somos educados a tomar todas as medidas necessárias para salvar uma vida. Porém, profissionais de saúde são treinados para respeitar os desejos do paciente e às vezes, esses dois princípios entram em conflito, e isso deixa todos os envolvidos nos cuidados com um paciente em maus lençóis.

A coisa mais importante a considerar nos pacientes que recusam o cuidado é a comunicação. Você precisa assegurar-se, juntamente com o paciente, que eles entendem o que eles estão recusando e quais são as consequências dessa recusa. É outro convite para ensinar o paciente e aprender a aceitar os desejos que vão contra os princípios básicos da medicina moderna.

Se o paciente se recusa a fazer tratamento, tente entender o ponto de vista dele

Sua primeira linha de questionamento deve se concentrar no que o paciente pensa que o procedimento implica. Você deve tentar entender de onde eles estão vindo e por que eles estão tomando a decisão. Muitas vezes, é apenas uma questão de comunicação que faz com que um paciente não queira um dado tratamento. Às vezes, o paciente não entende o que está sendo feito para eles ou porque eles precisam disso. Esta é uma boa oportunidade para ensinar ao paciente a respeito de sua condição e como o procedimento irá ajudá-los.

Às vezes, o paciente entende muito bem as coisas. Eles sinceramente não concordam com o procedimento e não querem isso. É importante explorar delicadamente esta questão também. Descubra por que eles não querem o procedimento. Descubra o processo de pensamento que está entrando na decisão que eles estão fazendo e esclareças as conseqüências de tomar ou recusar o tratamento.

É importante lembrar que toda a família e amigos devem estar envolvidos no processo, de forma a garantir os melhores resultados e obter a aprovação do paciente para os tratamentos necessários.

Pacientes que não querem tratamento

Se o paciente recusar o tratamento, é importante desenvolver estratégias para lidar com a situação e buscar uma solução rápida. (Foto: Office of the Public Advocate)

Pessoa que não aceita ajuda precisa ter suas preocupações ouvidas

A principal razão pela qual os pacientes recusam o tratamento é que eles tem preocupações sobre isso. Essas preocupações podem variar de não pensar que o procedimento é necessário até ter medo de que os procedimentos possam matá-los. É importante levar essas preocupações à luz para que você possa conversar com o paciente sobre elas. Se o paciente tem medo de um procedimento ou remédio, você pode falar com calma e racionalidade sobre os efeitos colaterais e os riscos. O paciente tem o direito de tomar decisões sobre seus cuidados, mas você precisa garantir que as decisões sejam informadas.

Algumas preocupações podem não ser fundamentadas. Por exemplo, certas crenças religiosas impedem que as pessoas recebam transfusão de sangue e seria um desserviço tentar conversar sobre isso. Claro, eles devem saber as consequências da recusa de tratamento, mas a recusa deve ser respeitada quando tiver certeza de que é uma decisão informada.

Recusa de tratamento médico precisa ter uma negociação aceitável

O melhor resultado nesta situação é que você e os envolvidos no tratamento possam aliviar os medos do paciente e fazer com que eles deem o consentimento para o tratamento. Este resultado nem sempre é alcançável, então você pode tentar negociar uma solução com eles. Por exemplo, se um paciente tem medo de uma cirurgia, você pode pedir ao médico para conversar novamente com eles ou pedir uma enfermeira da sala de cirurgia para falar com eles sobre como a cirurgia geralmente ocorre. Uma vez que você providencia mais informações para o paciente, eles podem estar mais dispostos a concordar com o procedimento que poderia salvar sua vida.

Claro, você não deve tentar convencer e insistir que um paciente tenha um procedimento com o qual eles não estejam confortáveis ou estejam incertos. A linha de questionamento deve se concentrar em uma vontade de entender e informar, ao invés de uma tática de força bruta para intimidar o paciente rumo à aceitação do tratamento.

Ao usar suas habilidades de comunicação e tentar ver a situação do lado do paciente, você pode ajudá-los a superar seus medos e tomar a melhor decisão possível para os cuidados. Se essa decisão incluir recusar cuidados, então todos devem aceitar a decisão, não importa o quanto vocês possam discordar.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas. Estamos aqui para ajudar!

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.