A doença de Alzheimer não tem cura, nem uma maneira comprovada de prevenir seu início. O tratamento concentra-se no suporte e na gestão dos sintomas. A condição é fatal, levando a um declínio das funções cognitivas e biológicas básicas até a morte. A ciência vem descobrindo algumas formas de prevenção para a doença, mas ainda estamos longe de identificar os tratamentos preventivos mais eficientes.

Tratamentos para Alzheimer

Como não existe uma cura conhecida para a doença de Alzheimer, o tratamento concentra-se na gestão dos sintomas e no apoio à pessoa e à sua família. Isso pode incluir:

Tratamento condições médicas que podem contribuir para confusão ou declínio físico, como doenças pulmonares ou anemia.

Incentivo a atividades estimulantes para encorajar a pessoa a continuar suas atividades normais o máximo possível.

Fornecer ajudas de memória e disparadores de memória, como calendários e lembretes escritos.

Incentivar a interação social para ajudar a prevenir sentimentos de solidão e depressão.

Contatando grupos de suporte que podem oferecer assistência à família e aos cuidadores.

Incentivar a rotina regular para reduzir a confusão.

Não fumar.

Doença de Alzheimer

O Alzheimer é uma doença que não tem cura, mas diversos tratamentos e prevenções podem ser adotadas para evitar que a doença acabe com sua saúde mental. (Foto: GetMed Urgent Care)

Medicamentos para Alzheimer

Medicamentos como comprimidos para dormir e tranquilizantes podem ajudar a controlar sintomas como insônia e agitação. No entanto, eles muitas vezes causam maior confusão, motivo pelo qual seu uso deve ser limitado.

Um grupo de medicamentos chamados inibidores da colinesterase mostraram alguma eficácia na diminuição da progressão da condição em algumas pessoas. Esses medicamentos ajudam a prevenir a degradação da acetilcolina, um neurotransmissor responsável pela memória.

Outra droga, a memantina, funciona de maneira diferente aos inibidores da colinesterase, com o objetivo de evitar a entrada de uma quantidade excessiva de cálcio nas células cerebrais. Níveis mais elevados de cálcio nas células cerebrais causam danos e também impedem que eles recebam sinais de outras células cerebrais.

A pesquisa continua no desenvolvimento de outros medicamentos para o tratamento da doença de Alzheimer. Os medicamentos que estão sendo investigados incluem aqueles que impedem a acumulação de depósitos amiloides no cérebro, bem como o uso de alguns medicamentos antiinflamatórios e hormonais. A pesquisa também continua no uso de terapias alternativas, como o consumo de antioxidantes que incluem a vitamina E, selênio e alguns extratos de ervas (especialmente o ginko baloba).

Um médico deve ser consultado para recomendar o melhor tratamento para o Alzheimer, com a melhor combinação de medicamentos e tratamentos para a doença.

Alzheimer: prevenção e redução de risco

Não há formas comprovadas de prevenir o desenvolvimento da doença de Alzheimer. No entanto, há evidências epidemiológicas que sugerem que um estilo de vida saudável pode reduzir o risco de doença de Alzheimer. A atividade física regular podem ter um efeito protetor geral sobre a saúde cerebral e podem retardar a progressão da doença de Alzheimer. Embora não existam especificações dietéticas específicas para a doença de Alzheimer, uma dieta mediterrânea (ou seja, alimentos vegetais, frutas, feijão, grãos integrais, oleaginosas, azeitonas e azeite, juntamente com alguns queijos, iogurte, peixes, aves e ovos) Pode reduzir o risco de doença de Alzheimer e tem o benefício adicional de reduzir as chances de doenças cardiovasculares e risco de diabetes tipo 2.

Ficou alguma dúvida? Deixe nos comentários suas perguntas e estaremos aqui para ajudar!

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.