A causalidade iatrogênica (por intervenção médica) é um dos principais contribuintes da doença e a manutenção da doença no mundo de hoje. Entre vacinação, antibióticos, medicamentos e intervenções cirúrgicas, mais pessoas estão sendo feitas doentes do que de qualquer outra causa. Em nossa pesquisa, buscamos apenas artigos científicos sobre o assunto e descobrimos muitas coisas que provavelmente médico algum gostaria que você soubesse.

Note que estes dados são de estudos norte americanos, pois não conseguimos encontrar fontes confiáveis sobre o mesmo tema no Brasil. O que eu imagino é que se lá o problema já é tão sério, imagine por aqui então?

A maioria dos erros médicos não são relatados

Todos os estudos feitos ainda são distorcidos pelo fato de que a maioria dos erros médicos não são relatados. Portanto, mesmo com uma espantosa quantidade de dados disponíveis, o número seria muito maior se os erros envolvidos na medicina alopática fossem relatados.

Durante os grupos de pesquisa, um estudo foi feito pedindo ao público para obter sugestões sobre como esse problema poderia ser “ajudado”. A esmagadora maioria (78%) dos que responderam achavam que os médicos precisavam passar mais tempo com seus pacientes. Relatórios de erros também foram destacados (74%), assim como uma notificação obrigatória (71%) e incentivar os hospitais a denunciar a um órgão estadual/federal (62%).

Erros de dosagem

Um estudo de 2002 relatou que 20% dos medicamentos hospitalares para pacientes tiveram erros de dosagem. Cerca de 40% destes erros eram potencialmente prejudicial para o paciente. A estimativa do número de pacientes potencialmente prejudicados por erros de dosagem, em 2003, era de 417.908 (24%).

As reações adversas e efeitos colaterais estão contribuindo para muitas internações

25% de todos os medicamentos têm efeitos colaterais observáveis. Em 2002, havia 3.340 milhões medicamentos receitados. Inibidores da recaptação da serotonina, anti-inflamatórios não-esteroides (AINEs), e bloqueadores dos canais de cálcio apresentaram os piores efeitos colaterais. 5% ou quase um milhão de internações por ano são o resultado de efeitos colaterais de drogas.

Publicidade de medicamentos na televisão é um grande negócio

Convencer o consumidor da necessidade de drogas cresceu em mais de 20% nos orçamentos de publicidade das empresas farmacêuticas, somando 3,5 bilhões de dólares por ano. A maioria das pessoas supõe que pelo anúncio ter sido feito que os medicamentos são seguros. Preste atenção na lista de potenciais efeitos colaterais sendo relatados, enquanto a pessoa feliz flutua por sobre a tela. 51% dos medicamentos aprovados têm riscos graves, incluindo insuficiência cardíaca, choque anafilático, parada respiratória, convulsões, insuficiência renal e hepática, defeitos de nascimento e cegueira.

Antibióticos são úteis para matar apenas algumas infecções bacteriana e inúteis em infecções viral

Eles são mais prescritos e estão enfraquecendo a população em geral enquanto bactérias tornam-se imunes a seus efeitos. 90 % de todas as infecções das vias respiratórias superiores é viral e não bacteriana. Isto é muito alarmante. Todos diagnóstico deve ser feito com uma cultura e antibióticos apropriados prescrito para apenas as infecções bacterianas. No entanto, quase todos recebem antibióticos, o que pode acabar só pesando no seu organismo sem efetivamente te tratar para algo.

Procedimentos cirúrgicos desnecessários

50 dos procedimentos cirúrgicos mais comuns compreendem mais de 65 milhões de procedimentos por ano. De acordo com a Subcomissão da Câmara sobre Supervisão e Investigações 17,6% eram desnecessários. Isso está custando centenas de bilhões de dólares por ano. Houve 32.000 mortes cirúrgicas relacionadas relatadas em 2003, custando US$9 bilhões e respondendo por 2,4 milhões de dias de hospitalização extras em 2000. Faça as contas e você perceberá que as cirurgias desnecessárias podem te levar a sérios problemas de saúde.

Cuidado com o médico

Seu médico pode ser um grande inimigo, se você não fizer seu dever de casa e providenciar um atendimento mais personalizado para seus problemas. (Foto: youviewed.com)

Exposição à radiação acumulada de raios-X é perigoso para a sua saúde

Mamografias para o diagnóstico do câncer de mama é uma das ferramentas diagnósticas mais prevalentes e um dos principais contribuintes do câncer de mama, juntamente com a manipulação hormonal em mulheres. O efeito combinado pode ser devastador.

As empresas como um problema

Como você pode ver por alguns dos detalhes deste relatório que o dinheiro desempenha uma grande parte do problema na medicina alopática. A indústria médica/saúde é um negócio de trilhões de dólares. Isso faz com que as principais decisões na área da saúde muito política e não impulsionadas pelo bem-estar do paciente. Todos nós devemos ser muito diligentes em nossas investigações da saúde pessoal. Não podemos depender do sistema alopático para cuidar de nós. Temos de nos tornar mais responsáveis pela direção dos nossos tratamentos.

Alopatia trata as consequências, não as causas do problema

O pior problema da alopatia é não tratar a causa do problema. Se você entrou em depressão, o remédio te ajudará a estabilizar o humor, mas o que realmente te levou a ficar deprimido? Se você se gripou, isso foi por conta de seu organismo não estar forte o suficiente para resistir ao vírus, e tomar um antigripal só irá tratar os sintomas, mas não identificará, por exemplo, que falta vitamina C em sua dieta.

Quanto mais você correr para a alopatia, menos você focará em reais problemas que precisam de solução em sua vida. E é aí que está o maior risco, pois você continuará bombardeando seu corpo com remédios e um estilo de vida extremamente prejudicial para sua saúde.

Se não posso recorrer a alopatia, o que devo fazer?

A homeopatia oferece uma forma segura e eficaz do medicamento e pode tratar qualquer forma de doença. Não está dependente de diagnóstico embora o diagnóstico pode ser útil. Mas não por conta dos medicamentos que ela utiliza, mas pela forma como os médicos abordam seus pacientes. O mesmo pode ser obtido também com a medicina antroposófica e com médicos de família que já conhecem bem seu histórico de vida.

Bons médicos passam a maior parte do tempo com os pacientes para educá-los sobre a cura, drogas, opções contra a abordagem alopática etc. Há uma abordagem mais individualizada em detrimento da abordagem global para os problemas usada na alopatia. Assim, você trata sua vida inteira e não apenas um problema que é a consequência de seu estilo de vida.

Mas devo sempre evitar a alopatia?

Veja bem: nossa crítica está nos excessos da alopatia. Usando um exemplo pessoal, no dia em que escrevi este artigo, a avó de um amigo morreu devido a complicações de uma cirrose. Esta doença não foi causada pelo uso de bebidas alcoólicas, mas sim, por medicamentos. Ela usava mais de 15 remédios para seus problemas de saúde. Não que não fossem necessários, mas será que não havia alguma opção? Ao mesmo tempo, fiz uma cirurgia de desvio de septo que melhorou e muito minha qualidade de vida, mesmo não sendo uma cirurgia extremamente necessária. Já fiz um tratamento para insônia que foi resolvido com remédios, mas que está sendo melhor tratado hoje com atendimentos com uma psicóloga.

Portanto, cabe também o bom senso. Todo mundo precisa fazer exames de sangue, os Raios-X as vezes serão necessários. Mas tenha um bom balanço em sua vida. Equilibre elementos de saúde para que você realmente viva saudável e não dependa de remédios. Quanto mais você fizer sua parte e o dever de casa de pesquisar e se informar antes de enfiar um remédio no seu organismo, melhor será para você.

Gostaríamos de ouvir sua opinião e experiências nos comentários abaixo. O que você acharam do artigo? Como tratam seus problemas de saúde?

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.