Chocolate e cacau fazem bem para quem pratica corrida?

Escrito na categoria "Atividade física" por Bruno Almeida.

Existem diversos mitos e verdades sobre os riscos e benefícios de consumir chocolate. Assim como acontece com diversas guloseimas, o chocolate tem sim vários benefícios para oferecer à sua saúde, mas o problema está na quantidade ingerida. Qual é o melhor chocolate?

Os especialistas afirmam que apenas um tablete pequeno por dia é o suficiente para oferecer todos os benefícios. Para completar, eles indicam que as pessoas deem preferência ao chocolate preto que tenham 70% ou mais de cacau.

O cacau tem flavonóides que tem função antioxidante capaz de reparar as células, prevenindo o envelhecimento precoce, raleando o sangue diminuindo os riscos de derrames e problemas cardíacos, além de proteger a pele contra lesões causadas pelos raios ultravioletas.

Outro componente importante para a saúde existe no chocolate é teobromina, esta substância é vasodilatadora, ou seja, ela consegue facilitar a chegada de sangue no cérebro, contribuindo também para a diminuição da pressão arterial.

Chegou a hora de apresentar o ponto mais importante. Todos os efeitos e benefícios que foram e serão apresentados ao longo deste artigo só são vistos nas pessoas que consomem chocolate moderadamente.

É importante relembrar que o chocolate é um alimento que contem valor calórico bem alto, sendo importantíssimo moderar a sua ingestão. Especialistas afirmam que a quantidade ideal de chocolate a ser ingerida diariamente é de 45 gramas.

Comer chocolate ajuda na corrida?

Chocolate faz bem pra saúde?

Problemas de saúde ligados ao consumo de chocolate

As pessoas que tem deficiência de magnésio, zinco e/ou cromo geralmente não conseguem ficar longe do chocolate. O maior problema é que a maioria não faz ideia deste problema, sendo assim, procure um nutricionista para realizar uma avaliação completa visando detectar alguma deficiência nutricional.

Se você tiver problemas com qualquer um destes nutrientes, é importante preparar uma dieta balanceada para supri-los. Estes nutrientes são fundamentais para a atividade física em diversos aspectos.

O magnésio é muito importante para o relaxamento muscular, para a síntese de proteínas e também para equilibrar o pH sanguíneo. A ausência deste mineral pode provocar ansiedade, irritabilidade, fraqueza, tremores, cãibras e constipação.

O zinco tem papel importante no sistema imune. Ele atua na produção de esperma, na síntese proteica e nos processos de cicatrização. As pessoas que transpiram muito têm perda maior de zinco, fiquem atentos quanto à reposição.

O cromo é participa diretamente do metabolismo de carboidratos e lipídios, além de potencializar a ação da insulina. A deficiência dês cromo aumenta o risco de anemia e osteoporose.

Na continuação do nosso artigo vamos apresentar 4 motivos para colocar o chocolate na sua dieta, mas lembrem-se, esta ingestão deve ser de forma consciente e moderada.

Considerações finais

Toda alimentação deve ser discutida com um nutricionista após realizar os exames necessários para definir os alimentos ideais para cada pessoa. A pessoa que consome alimentos compulsivamente tende a perder os benefícios transformando-os em problemas de saúde.

Claro que o chocolate é um alimento delicioso que por provocar sensação de prazer faz com que o organismo queria sempre mais. A pessoa que se deixar controlar por este tipo de dependência, certamente apresentará graves problemas futuramente.

Agradecemos a atenção de todos até aqui e queremos convidá-los a continuar em nosso site. Existem muitas dicas de saúde, atividade física, alimentação correta e muito mais. Sejam sempre bem vindos!

Sobre o autor

Autor Bruno Almeida

Bruno Almeida é formado em Educação Física pela UFV - Universidade Federal de Viçosa. Foi aluno destaque do instituto e agora compartilha seus conhecimentos no site Saúde Melhor!

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista. Procure sempre orientação médica presencial antes de consumir ou utilizar qualquer produto ou substância terapêutica.