Todo fumante de cigarro, particularmente aqueles que fumaram por um longo tempo, em algum ponto ou outro já pensaram em parar. No entanto, decidir sobre a melhor abordagem para parar pode ser confuso. Alguns argumentam que o desmame da nicotina é a melhor opção, enquanto outros preferem parar de uma só vez, dizendo que é a melhor opção. Muitos fumantes já tentaram uma ou outra opção e possivelmente não tiveram sucesso. Porém, ambos os métodos tem vantagens e desvantagens, com impactos significativos na vida do fumante.

Parar de fumar em desmame ou parar de uma só vez: entenda!

O desmame é parar de fumar gradualmente. Significa, a cada dia/semana/mês reduzir a quantidade ou frequência do fumo. Geralmente, o desmame bem sucedido é orientado e acompanhado por uma equipe médica, formada por psicólogo, psiquiatra, nutricionista, e educador físico.

Parar de uma só vez significa, literalmente, não fumar mais. Pode ser da noite para o dia, pode ser uma parada de fumar que vinha sendo acompanhada de um desmame (uma redução na frequência do cigarro). Pode ser que a pessoa era uma fumante ocasional ou situacional (fumava apenas em certas situações – bebendo, em certos grupos de amigos, estresse, etc). Aqui, a pessoa pára sem uma graduação, sem uma “escada” na redução da frequência do fumo.

Desmame do cigarro: preparando seu corpo para sair do vício

O desmame envolve primeiro identificar seu consumo diário atual. Há vários métodos para isso, sendo o mais conhecido o uso de uma agenda para registro dos horários e situações em que o fumo é mais frequente. A identificação dos gatilhos para o fumo e os horários onde o cigarro é frequente ajudam ao paciente e a equipe que acompanha o desmame a traçar uma estratégia eficiente.

Por exemplo, uma pessoa que fuma 20 cigarros por dia, pode ter uma rotina de fumo da seguinte forma: 2 cigarros a cada uma hora de trabalho (em 8 horas de trabalho, 16 cigarros), geralmente fumados com uma xícara de café; 1 cigarro pela manhã; 1 cigarro no horário do almoço; e 1 cigarro antes de dormir. Aos fins de semana, a quantidade de cigarros é reduzida para 10 cigarros por dia, sendo 2 pela manhã, 2 no almoço, 1 na tarde, e 1 antes de dormir. Se o paciente bebe, a quantidade de cigarros fumada em um dia pode dobrar.

Analisando esse fumante, temos o fumo por associação (café e álcool) e o fumo por hábito/vício, dando duas possibilidades de desmame para a equipe. A partir daí, a equipe pode cortar, por exemplo, 1 cigarro pela manhã, 1 à tarde, e um à noite, o que corresponderia a 3 cigarros por dia e um total de 21 cigarros por semana.

Formas de parar de fumar

Parar de fumar é uma tarefa árdua, e não existe apenas uma forma para isso. Portanto, entender o desmame do cigarro e o parar de uma vez vai ajudar quem precisa largar esse vício e começar uma vida saudável. (Foto: xbox360asylum.ca)

Sintomas ao parar de fumar: no desmame, os sintomas são mais leves

A grande vantagem do desmame é que a equipe e o fumante podem dar tempo ao organismo para lidar com os efeitos colaterais da abstinência da nicotina, dando mais tempo ao corpo para se adaptar a uma dose menor da substância no organismo, e até mesmo mais tempo para o corpo se adaptar a medicamentos que podem estar sendo usados para tratar o vício. O impacto é bem menor sobre o corpo e sobre a mente do fumante, que tem mais tempo para se adaptar.

Contudo, o desmame exige disciplina do fumante, e o mínimo deslize pode colocar os progressos a perder. Se o fumante voltar a antigos hábitos, ou sair das orientações médicas, ele pode ver seus progressos irem por água abaixo. Mesmo uma pequena baixa na dosagem de nicotina diária ou semanal pode ser muito sentida por algumas pessoas, e sintomas da crise de abstinência surgirão.

Quem pára de fumar de repente enfrenta sintomas mais graves, pois o organismo não tem tempo para se adaptar à falta da nicotina. Quanto mais tempo a pessoa tem o vício, maior é a tendência dos sintomas da crise de abstinência serem mais severos.

Parei de fumar e fiquei doente: reação natural do organismo

Principalmente quem pára de fumar de repente, acaba adoecendo logo depois. Isso é uma resposta natural e esperada do organismo, que está se adaptando a uma menor quantidade de nicotina nas células. Nos pulmões, o seu organismo está substituindo as células prejudicadas pela fumaça do cigarro por células saudáveis. Na garganta, a mesma coisa. Seu organismo está sendo sobrecarregado, o que inclui seu sistema imune, deixando-o vulnerável para vírus, bactérias, e outros tipos de infecções.

Durante o processo de parar de fumar, é importante manter uma boa dieta, acompanhamento médico, e uma rotina de exercícios físicos, justamente por causa dessa redução na imunidade. Remédios são usados pela equipe médica para ajudar e impedir que a baixa imunidade possibilite a proliferação de uma doença grave, tal como uma pneumonia.

Sintomas físicos da abstinência de cigarro

Falta de ar, sudorese, sensação de pânico, dor na garganta, pigarro, garganta seca, língua seca, gosto ruim na língua, ansiedade, tremores. Estes são alguns dos sintomas mais comuns da abstinência do cigarro. Algumas pessoas sentem também algum tipo de transtorno alimentar ou intestinal devido a abstinência, mas geralmente são casos associados a problemas de dieta associados a parar de fumar (exemplo: a pessoa comia menos quando fumava, e agora come mais porque fica ansiosa). Fadiga é também uma reclamação comum entre os que estão parando de fumar, bem como tontura e enjoo.

No desmame, esses sintomas são mais leves, e podem sequer existir. Quem para de fumar de repente pode aumentar esses efeitos da abstinência. Inclusive, tais efeitos são uma das razões pelas quais as pessoas desistem de parar de fumar. O “tratamento de choque” nem sempre funciona para todos, devemos lembrar.

Ao ter sua tentativa de parar de fumar acompanhada por profissionais, todos esses sintomas podem ser amenizadas, melhorando as chances de sua tentativa de parar de fumar.

Pare de fumar: os efeitos positivos compensam os negativos em grande quantidade

Com menos de dois dias que você para de fumar, seu olfato e paladar ficam mais aguçados. Em menos de um dia, seu pulmão já melhora o desempenho e você tem menor risco de um ataque cardíaco. Em menos de 3 meses, sua respiração melhora. Menos de 1 ano, você volta a ter as vias aéreas limpas e se ver livre dos problemas respiratórios causados pelo uso contínuo do cigarro. Parar de fumar tem efeitos colaterais com duração bem variada, dependendo do grau de dependência química e psíquica do cigarro. Pode durar algumas semanas, um ano, ou até mais. A questão principal é que com o tratamento adequado, os sintomas da crise de abstinência tendem a esvanecer e reduzir drasticamente seu impacto sobre sua saúde e qualidade de vida. Com o suporte de profissionais então, a tendência é que você se recupere e tenha uma vida completamente normal após parar de fumar.

Você já parou de fumar? Como foi para lidar com os efeitos da abstinência? Está tentando parar de fumar e lidando com a abstinência agora? Quais sintomas você sente?

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.