A insônia é uma condição caracterizada pela dificuldade em adormecer e permanecer dormindo. Ela inclui um amplo espectro de distúrbios do sono, da falta de quantidade de sono a falta de qualidade no sono. A insônia é frequentemente separada em três tipos. Insônia transitória ocorre quando os sintomas duram de alguns dias a algumas semanas. Insônia aguda ou a curto prazo é quando os sintomas duram várias semanas. A insônia crônica é caracterizada pela insônia que dura meses a anos.

A insônia pode afetar todos os grupos de idade e é mais comum em mulheres adultas do que nos homens adultos. A condição pode levar ao mau desempenho no trabalho ou escola, obesidade, depressão, ansiedade, a função do sistema imunitário deficiente, tempo de reação reduzido, e um aumento de risco e gravidade da doença a longo prazo. Pode aumentar também os riscos em alguém desenvolver diabetes do tipo 2.

A insônia pode ser causada por fatores físicos, assim como fatores psicológicos. Há muitas vezes uma condição médica subjacente que causa a insônia crônica, enquanto a insônia transitória pode ser devido a um recente evento ou ocorrência. Causas da insônia incluem:

  • Drogas, álcool, cafeína, nicotina, estimulantes, antidepressivos, medicamentos cardíacos e de pressão, medicamentos para alergias, descongestionantes, medicamentos para perda de peso, anti-histamínicos, cocaína, efedrina, anfetaminas, metanfetaminas, fluoroquinolona antibióticos.
  • Interrupções no ritmo circadiano: jet lag, mudanças de turno de trabalho, grandes altitudes, sentir muito calor ou muito frio.
  • Questões psicológicas: estresse, ansiedade, depressão, mania, esquizofrenia.
  • Condições médicas: lesões cerebrais e tumores, dores, acidente vascular cerebral crônico, síndrome de fadiga crônica, insuficiência cardíaca congestiva, angina, doença pulmonar obstrutiva crônica, asma, apnéia do sono, Parkinson e Alzheimer, hipertireoidismo, artrite.
  • Hormônios: o estrogênio, principalmente durante o período de menstruação.
  • Outros fatores: dormir ao lado de um parceiro que ronca, parasitas, doenças genéticas, mente hiperativa, gravidez.
Problemas com o sono

Não brinque com seu sono. A insônia pode facilmente levar a graves problemas de saúde e inclusive, à morte. (Foto: d4nations.com)

A insônia por si só pode ser um sintoma de uma condição médica subjacente. No entanto, há vários sinais e sintomas que estão associados com a insônia.

  • Dificuldade em adormecer à noite;
  • Despertar durante a noite;
  • Despertar mais cedo do que desejado;
  • Ainda sentir-se cansado depois de uma noite de sono;
  • Fadiga ou sonolência diurna;
  • Irritabilidade, depressão ou ansiedade;
  • Falta de concentração e foco;
  • Descoordenação e um aumento em erros ou acidentes;
  • Dores de cabeça tensionais;
  • Socialização difícil;
  • Sintomas gastrointestinais;
  • Preocupar-se em dormir.

Um especialista do sono geralmente vai começar uma sessão de diagnóstico fazendo uma bateria de perguntas sobre seu histórico médico e os padrões de sono. Um exame físico pode ser conduzido a olhar para as condições que podem estar causando a insônia. Da mesma forma, os médicos podem fazer uma triagem de transtornos psiquiátricos e uso de drogas e álcool. Não é incomum para um especialista do sono solicitar que você mantenha um diário de seu sono, relatando como este o foi em cada um dos dias.

Testes mais sofisticados podem ser empregues, tais como um polissonografia, que é um teste durante a noite que grava padrões de sono. Além disso, pode ser conduzida a actigrafia, que utiliza um pequeno dispositivo de pulso chamado um actigráfico para medir os padrões de movimento e de sono-vigília.

Alguns tipos de insônia resolvem-se quando a causa subjacente é removida ou desaparece. Em geral, o tratamento da insônia concentra-se em determinar a causa dos problemas de sono. Uma vez identificados, estas causas subjacentes podem ser adequadamente tratadas ou corrigidas. Além de tratar a causa subjacente da insônia, tratamentos médicos e não farmacológicos (comportamentais) podem ser utilizados como terapia conjunta.

Tratamentos não-farmacológicos da insônia incluem:

  • Melhorar “higiene do sono”: não dormir demais nem de menos, exercícios diários, não forçar o sono, tentar manter um horário de sono regular, evitar cafeína à noite, não fumar, não ir para a cama com fome, ter certeza de que o ambiente é confortável;
  • Usando técnicas de relaxamento, como a meditação e relaxamento muscular;
  • A terapia cognitiva individual ou terapia de grupo;
  • Terapia de controle de estímulo: só ir para a cama quando estiver com sono, abster-se de televisão, ler, comer, ou preocupar-se na cama, definir um alarme para a mesma hora todos os dias (inclusive fins de semana), evitar longos cochilos diurnos;
  • Restrição de sono: redução do tempo gasto na cama e parcialmente privar o seu corpo de sono para que você esteja mais cansado na noite seguinte.
Tratamentos médicos para insônia incluem:
  • Prescrição de pílulas para dormir (geralmente benzodiazepínicos);
  • Antidepressivos;
  • Anti-histamínicos;
  • Melatonina;
  • Ramelteon;
  • Valerian officinalis.

Seu sono é muito importante para uma boa saúde. Quando tiver algum problema recorrente quanto ao sono, busque a ajuda de um profissional o quanto antes. Sua qualidade de vida está diretamente ligada a seu sono. Não tenha medo do médico que irá te atender, muito menos de mudar sua qualidade. Busque sempre um tratamento que não envolva medicamentos primeiro. Caso este não resolva, aí sim você precisará de uma abordagem mais pesada, podendo incluir até a cirurgia para casos de apnéia do sono e ronco.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.