O Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) afeta milhões de pessoas nos EUA e em todo o mundo. Se uma dessas pessoas é alguém que você ama, você sabe que o impacto do TOC vai muito além pessoa que foi diagnosticada com esse distúrbio.

Muito tem sido escrito sobre o TOC e seu tratamento. Muito menos foi escrito sobre os cônjuges, famílias e amigos que devem assistir um ente querido e que também devem viver com os efeitos da desordem a cada dia. O TOC é um caso de família. Os tentáculos tóxicos desta desordem se estendem muito além da vítima identificada.

Este artigo foi escrito para ajudá-lo a ajudar o ente querido a ganhar controle sobre o TOC, restaurar relacionamentos que foram danificados pelas demandas e desgosto desta desordem e ajudá-lo a obter a ajuda que você provavelmente precisa para lidar com o problema.

Pessoa com TOC: os passos para lidar com elas da melhor maneira

A vida com uma pessoa que tem TOC é preenchida com emoções conflitantes. Se você se sentir frustrado, irritado, oprimido ou sem esperança, você não está sozinho. Hoje, existem novas e mais eficazes estratégias de enfrentamento para lidar com dificuldades relacionadas ao TOC. Famílias e amigos agora podem tirar proveito de várias “ferramentas” que são eficazes para melhorar as interações entre você e o paciente com TOC e, ao mesmo tempo, podem ajudá-lo a alcançar o sucesso no processo de tratamento. Muito importante quando você interage e/ou presta cuidados a um indivíduo com TOC, é que você deve cuidar do seu próprio bem-estar físico e emocional.

Como lidar com TOC

Conviver com uma pessoa com TOC pode colocar um peso sobre qualquer relação, e é importante conhecer as maneiras de lidar com esses indivíduos para se evitar problemas. (Foto: Marie Claire)

TOC e dificuldade de relacionamento

Algumas etapas muito importantes para ajudar seu ente querido com você: Você precisará entender o que seu ente querido está passando com essa desordem frequentemente debilitante. Recomendamos que você pesquise o máximo sobre a doença, seus sintomas, relatos de pessoas com TOC, assista vídeos, e mais. Busque saber tudo sobre a doença para entender melhor o que a pessoa está passando.

Você deve se tornar um catalizador para a mudança. Ajude o seu amado a encontrar o tratamento adequado para o TOC e incentive-o a participar ativamente do processo de terapia. O tratamento eficaz é o passo mais importante para obter alívio.

Pare de permitir TOC em sua casa ou em seu relacionamento. Participar de rituais com seu ente querido ou acomodar o comportamento de evitação da verdade não ajuda. Na verdade, o efeito pode ser exatamente o oposto.

Tente estabelecer um clima emocional positivo no lar. Como você se comunica com seu ente querido, bem como o nível de apoio que você fornece, não pode ser enfocado excessivamente. Você pode e deve gerenciar emoções e atitudes enquanto você interage com a pessoa que tem TOC.

Se isso soa mais fácil do que o que foi feito, entendemos seu ceticismo. Além da missão para lidar com o TOC, é necessário ajudar as pessoas com TOC a obter alívio, ajudar suas famílias e amigos a desenvolver as habilidades-chave para se tornarem agentes de mudança e ajudar a iniciar melhorias dramáticas para todos na vida de um paciente com TOC.:

Síndrome do TOC tem cura

Antes de um avião sair do chão, os comissários de bordo fornecem instruções importantes sobre o que fazer em uma emergência. Uma dessas instruções é particularmente notável: coloque sua própria máscara de oxigênio antes de tentar ajudar alguém. A mensagem básica é que, a menos que você primeiro cuide de si mesmo, você não poderá ajudar os outros. No entanto, essa ideia fundamental é frequentemente ignorada pelos familiares de indivíduos com TOC. E mesmo que a pesquisa tenha indicado que os membros da família relatam algum grau de dano causado pelo TOC, eles raramente procuram a ajuda profissional que eles precisam. Em vez disso, eles geralmente se concentram no indivíduo com TOC. Vamos entender alguns mitos e fatos sobre familiares com TOC para te ajudar a chegar a uma solução

Mito: a única maneira de melhorar minha vida é se a pessoa com TOC melhorar

Fato: embora a vida quase certamente seja melhor para os membros da família se a pessoa com TOC melhorar, não há garantias de que ele ou ela fará. Você precisa fazer o que puder para melhorar a qualidade de sua própria vida, mesmo que o paciente com TOC não se recupere.

Mito: é egoísta tentar me ajudar.

Fato: este mito implica que é desconsiderado se preocupar com seu próprio bem-estar e que se ajudar seja de alguma forma prejudicial para outras pessoas. Na realidade, quando você cuida de si mesmo, você está em uma posição muito melhor para ajudar os outros.

Mito: obter ajuda para mim compromete os meus esforços para ajudar a pessoa com TOC.

Fato: quando você está menos surpreso com a frustração, a culpa e outras emoções negativas, está em melhor estado de espírito e será realmente mais eficaz para ajudar seu ente querido.

Mito: a pessoa com TOC ficará chateada se eu obter ajuda.

Fato: na verdade, há uma ótima chance de a pessoa com TOC ficar brava se você procurar ajuda por ela. Mas os mitos estão com os pressupostos subjacentes: você pode controlar se a pessoa com TOC fica ou não chateada (você não pode); ou a pessoa com TOC não ficará chateada se você não procurar ajuda (mas ele ou ela pode ficar chateado, mesmo que não obtenha ajuda, você não pode controlar isso).

Mito: eu não deveria ter que ser o único a mudar.

Fato: esse mito é baseado nas leis de um mundo em que as coisas são sempre justas. No mundo real, você deve tomar decisões reais, mesmo que elas não pareçam justas.

Mito: eu poderia ser capaz de lidar sem ajuda.

Fato: mais uma vez, esse mito se baseia em um mundo criativo em que você conhece e nunca precisa de ajuda. No mundo real, pessoas razoáveis ​​procuram ajuda de outros que tem experiência ou recursos que não possuem. Na verdade, saber quando procurar ajuda é uma força, não uma fraqueza.

Interagir com, e em alguns casos, cuidar de um membro da família com TOC pode ser muito estressante. Para efetivamente ajudar essa pessoa, você precisa fazer o que for necessário para cuidar do seu próprio bem-estar físico e emocional. Isso pode significar falar com o terapeuta comportamental cognitivo de seu amado para orientação ou procurar ajuda por conta própria. Você também pode querer considerar comparecer a um grupo local de apoio ao TOC que esteja aberto aos membros da família. Fale com outros que tiveram experiências semelhantes e aprenda sobre como abordaram dificuldades familiares pode ser extremamente útil, se não terapêutico.

Você tem um familiar com TOC? Como lida com essa pessoa?Quais dicas daria para quem está passando por situação semelhante?

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.