Existem diferentes graus de queimadura de acordo com as camadas da pele danificada. A epiderme ou a camada superior da pele é afetada em uma queimadura de primeiro grau, resultando em dor, vermelhidão e inchaço. Uma queimadura de segundo grau afeta a derme ou a segunda camada da pele, e resulta na formação de uma bolha. Quando essa bolha estoura, é que vem uma dor, principalmente quando ela estoura e começa a arder.

A boa notícia é que dá pra tratar e aliviar essa dor da bolha, reduzindo bastante o problema, e te salvando desse incômodo. Ainda por cima, dá pra acelerar a cicatrização, pra minimizar qualquer marca ou cicatriz que a bolha possa deixar.

Bolha de queimadura estourada: o que fazer?

Você deve receber tratamento médico se mais do que 7 cm de área de pele estiver queimada ou se seu rosto, mãos, órgãos genitais, nádegas ou uma grande articulação for queimado. Caso contrário, você pode tratar como uma forma menor de queimadura. Uma bolha de queimadura pode deixar uma cicatriz; No entanto, tomando cuidado e tratamento adequado pode reduzir as chances dessas marcas e cicatrizes.

Tratamento para bolhas estouradas

Cuidar de uma bolha de queimadura estourada é algo que vai doer um pouco, mas vai ajudar na cura e recuperação da sua pele. (Foto: www.wisegeekhealth.com)

Quando a bolha estourada ainda tem pele

Não remova a pele da bolha. Essa pele é parte da proteção que impede que a bolha infeccione. Lave muito bem a área afetada com água e fluxo suave, para não machucar ainda mais a bolha.

Depois de passar a água, use um sabonete antibacteriano sobre a superfície da bola sem esfregar, pois isso pode romper a pele ainda mais. Seque a área depois com uma gaze esterilizada para evitar a contaminação por bactérias.

Por fim, cubra a bolha de queimadura com uma pomada antibiótica e um esparadrapo, gaze, ou fita que permita a pele respirar, aplicando uma quantidade suficiente para cobrir a área e promover a cicatrização mais rápida. O curativo deve ser trocado diariamente, repetindo a aplicação da pomada.

Bolha estourada: o que fazer com a pele já removida?

Se a pele já saiu, sua proteção está bem reduzida, e uma infecção é bem mais provável de acontecer. Essas bolhas devem ser cobertas com pomadas antibióticas. Um gel a base de Aloe Vera pode ser usado para matar as bactérias, prevenir a infecção, e ajudar na cura da bolha da queimadura.

Após aplicar a pomada, cubra a área da bolha com uma gaze esterilizada para prevenir infecções. Acelere o processo substituindo o curativo e pomada diariamente, sempre fazendo a limpeza do ferimento em cada limpeza. Mas antes de remover o curativo, umedeça-o em água morna para evitar que ele grude na bolha aberta e piore suas dores. Reaplique a pomada, tomando prestando bastante atenção a qualquer sinal de infecção ou de que o ferimento não melhora.

Bolha de queimadura: o que fazer par agilizar a cura?

Evite colocar gelo ou água gelada sobre a bolha. A bolha deve receber água fria corrente logo após a queimadura. Jóias, anéis, pulseiras, e qualquer outro item pessoal que esteja perto da área afetada deve ser removido, pois o inchaço pode ocorrer e esses itens podem prejudicar a recuperação da área.

Sempre que for cuidar da queimadura, lave muito bem as mãos, pois isso reduz as chances de infecção. Na hora de fazer um curativo, não pressione a gaze demais contra a bolha, para não dificultar depois na remoção do mesmo.

Use sempre um gel de Aloe Vera para ajudar na recuperação e cicatrização, mas verifique em uma porção pequena da sua pele, preferencialmente perto das axilas ou em um ponto escondido do corpo, se você tem alergia, aplicando um pequeno bocado do gel e aguardando 4 a 5 horas por uma reação. Se não der reação alguma, pode aplicar.

Lembre-se sempre de consultar um médico a qualquer sinal de complicação. Todo cuidado é pouco!

Como você cuida de suas bolhas de queimadura? Alguma dica que não colocamos aqui?

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.