Os cigarros eletrônicos ganharam uma certa popularidade nos últimos anos, e muitos os consideram o futuro para as pessoas que procuram parar de fumar, com relativamente menos riscos para novos usuários. Mas eles estão seguros mesmo? Antes de você ou alguém que você gosta usar cigarros eletrônicos para parar de fumar ou por outros motivos, vamos conhecer alguns fatos e mitos sobre esses dispositivos e esclarecer algumas dúvidas sobre o assunto.

Cigarro eletrônico faz mal a saúde

Embora acredite-se que esses produtos são menos prejudiciais do que os cigarros normais, não há provas de que sejam, de fato, seguros. Há um crescente número de pesquisas para sugerir que eles podem levar a conseqüências negativas para a saúde, incluindo dano ao cérebro, coração e pulmões; desenvolvimento de tumor canceroso; nascimento de prematuros e natirmortos; e feitos nocivos sobre o desenvolvimento cerebral e pulmonar, quando o uso ocorre durante o desenvolvimento fetal ou adolescência

Cigarro eletrônico tem nicotina

O uso de nicotina, independentemente de como é entregue, aumenta o risco de dependência. O vício em nicotina é notoriamente difícil de reverter, e o vício em cigarros eletrônicos pode levar ao uso de outros produtos de nicotina, incluindo cigarros normais, bem como álcool e outras drogas.

Cigarro eletrônico para parar de fumar

Os cigarros eletrônicos e outros dispositivos de vaporização podem ser uma alternativa preferida aos cigarros tradicionais, quando usados ​​exclusivamente como substituto e apenas entre os fumantes que não conseguiram parar de fumar usando métodos comprovados, aprovados medicamente. No entanto, há poucas provas conclusivas de que eles reduzem de forma confiável o tabagismo ou levam à cessação do tabagismo.

Cigarros eletrônicos não são usados só por quem tenta parar de fumar

Em vez disso, eles são cada vez mais populares entre os jovens, incluindo aqueles que nunca fumaram cigarros anteriormente e nunca pretendiam. A pesquisa mostra que alguns jovens começam a fumar cigarros somente depois de usar cigarros eletrônicos.

Cigarro eletrônico

O cigarro eletrônico envolve uma série de mitos e fatos que precisam ser esclarecidos para um uso consciente. (Foto: Skeptical Raptor)

Cigarros eletrônicos são usados juntamente a cigarros normais

Muitos fumantes usam esses produtos ao lado de cigarros tradicionais, muitas vezes em locais onde o tabagismo não é permitido ou não é conveniente. O resultado final é um aumento na exposição total à nicotina e seus efeitos nocivos.

A nicotina pode afetar o desenvolvimento e o funcionamento do cérebro em jovens

Os jovens são particularmente vulneráveis ​​ao uso de cigarros eletrônicos, dispositivos de vaporização e aos seus efeitos. Quanto mais jovem uma pessoa é quando ele ou ela tenta a nicotina, maior o risco de dependência. O cérebro em desenvolvimento é mais vulnerável aos efeitos de substâncias aditivas do que um cérebro adulto totalmente desenvolvido. Além disso, a nicotina pode perturbar o desenvolvimento do cérebro, interferir no funcionamento cognitivo a longo prazo e aumentar o risco de vários problemas de saúde mental e física mais tarde na vida.

Os cigarros eletrônicos e outros dispositivos de vaporização não são aprovados por órgãos de saúde

Esses produtos não são aprovados por órgãos de saúde como um auxiliar de cessação do tabagismo. Até muito recentemente, os fabricantes e distribuidores de cigarros eletrônicos e outros dispositivos vaporização não estavam vinculados por padrões de segurança estabelecidos por órgãos dos governos para produtos de tabaco. Apesar dos novos regulamentos, os fabricantes de cigarros eletrônicos são livres para projetar uma imagem livre de risco em seu marketing e oferecem sabores que atraem crianças, adolescentes e adultos jovens.

Existe pouca consistência em diferentes produtos

Há uma supervisão federal limitada para os cigarros eletrônicos e outros dispositivos de vaporização, dificultando a avaliação dos perigos de qualquer produto específico. Através dos produtos, houve uma variação considerável na natureza e concentração dos ingredientes, incluindo a nicotina e outras toxinas conhecidas.

Não há evidências de que o aerossol desses produtos seja seguro.

Há pesquisas limitadas sobre os efeitos a longo prazo sobre a saúde da nicotina em aerossol e de outros produtos químicos nos cigarros eletrônicos e outros dispositivos de vaporização. É claro, no entanto, que os aditivos, metais pesados, partículas ultrafinas e outros ingredientes que os cigarros eletrônicos contêm incluem toxinas e substâncias cancerígenas.

O cigarro eletrônico está popularizando o tabagismo

O aumento dos dispositivos e produtos de nicotina e a sua disponibilidade generalizada estão a reverter alguns dos progressos realizados ao longo de décadas de intensos esforços globais, nacionais e locais para reduzir o tabagismo, especialmente entre os jovens.

Se você é um fumante de cigarro a longo prazo e não conseguiu reduzir ou parar de fumar usando métodos de cessação aprovados, os cigarros eletrônicos e outros produtos para dispositivos de vaporização parecem ser uma alternativa mais segura do que o tabagismo contínuo. Mas mesmo que o façam, não ajudam a reduzir a ingestão de nicotina. No entanto, se você não fumar ou usar outras formas de tabaco ou nicotina, afaste-se dos cigarros eletrônicos e de outros dispositivos de vaporização. Os riscos potenciais para sua saúde a longo prazo superam qualquer prazer momentâneo que você possa ter.

Já usou o cigarro eletrônico? como foi sua experiência? O que recomendaria para quem está tentando parar de fumar?

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.